FOTO DE CAPA

CRAIBEIRAS FLORIDAS DE ADRIANO SANTORI

http://sertaodourado.com.br/2014/10/05/o-outubro-amarelo-das-craibeiras/

terça-feira, 2 de agosto de 2011

O MARCO DE TOUROS E A OUTRA HISTÓRIA DO DESCOBRIMENTO DO BRASIL





                  Rio Grande do Norte ou Bahia?



Como seria interessante se as nossas Escolas e Universidades promovessem esse debate! Não como dísputa política, mas como uma investigação que nos levasse a pesquisar, pensar, estabelecer hipóteses. Melhor que continuar insistindo em passar para as gerações a fabulosa história de que nossos heróis portugueses nos descobriram por acaso, depois de passar todo tipo de provações no desconhecido caminho que percorreram.








Para Câmara  Cascudo, o Marco de Touros muda a rota do Descobrimento. Suas pesquisas e estudos comprovam que a posse e a propriedade do Brasil se deram, não em Porto Seguro na Bahia, mas na praia de Touros, a 145km de Natal.  O Marco é o mais antigo objeto de presença européia em continente americano. Foi colocado na praia por Américo Vespúcio. Cascudo descobriu o monumento, identificou o Marco e fez um livro sobre o assunto.



                                                                    
                        Câmara Cascudo e o Marco de Touros


O Professor Diógenes da Cunha Lima, confirma que pouca gente sabe que o Brasil nasceu juridicamente no Rio Grande do Norte. Para ele, não existe em Porto Seguro, nada da presença de Pedro Álvares Cabral, ao contrário do que sucede no Rio Grande do Norte, onde a passagem de Vespúcio é confirmada em documentos.
Já o escritor e pesquisador Lenine Pinto autor de uma tese sobre o assunto, assegura que o Brasil foi descoberto em Touros e que o Monte Paschoal era a Serra do Cabugi.Tese polêmica, que tem gerado muitas discussões entre pesquisadores. A tese de que o Brasil nasceu aqui, no Rio Grande do Norte, defendida pelo pesquisador Lenine Pinto, demonstra uma série de dados a serem contestados na história oficial. Entre seus argumentos, a chantagem do Marco de Touros é uma das peças chaves de esclarecimentos. Para ele era normal chantar um marco no ponto onde chegavam e ao alcançarem o mar chantavam o segundo marco. "O Brasil tinha dois padrões (marcos), um em Touros e outro em Cananéia, em São Paulo", ressalta Lenine. Em documentos há relatos de que Cabral percorreu duas mil milhas na costa brasileira. "Duas mil milhas é exatamente a distância entre a ponta do calcanhar (RN) e Cananéia", afirma.








Outros Argumentos que sustentam a tese de Lenine, estão relatados no seu livro "Reinvenção do Descobrimento" lançado pela Editora RN Econômico - Emp. Jornalística -1968. Vale a pena conferir!


                                           







POR QUE PORTO SEGURO E NÃO TOUROS?




Os defensores da tese de que o Brasil foi descoberto em Touros, argumentam que: "Portugal era muito pequeno. Se dissesse qual o verdadeiro caminho, em pouco tempo, navegadores ou "piratas" espanhóis ou italianos estariam lá. Porto Seguro foi uma embromação dos portugueses, para fugir da concorrência! (Gildson Oliveira).
Para o historiador baiano Pedro Calmon, o Marco que Porto Seguro ostenta é apenas um "Comemorativo" do descobrimento, provavelmente posto ao iniciar-se a colonização" o que remeteria a uma data a partir de 1535.
                              


Fontes:

  • Gildson Oliveira - "Câmara Cascudo - Um Homem Chamado Brasil. Ed. Brasília Jurídica - 1999.
  • História do Rio Grande do Norte - Câmara Cascudo  - Livros Raros /1955
  • Lenine Pinto - Reinvenção do Descobrimento - Editora RN Econômico - Emp. Jornalística - 1968.
Fotos:
  • Imagens Google 
  • Edição de Fotos: programa Pic- Nic -Yahoo/BR

.       

5 comentários:

  1. Tive um professor de História no Atheneu, chama-se ou chamava-se Humberto, Ele afirmava tudo isso.
    Marilda Nascimento- São Bernardo do Campo/SP

    ResponderExcluir
  2. Defrontar os registros históricos não é legal. Aceitar a realidade é legal.

    ResponderExcluir
  3. Eu acredito sim que o primeiro contato com terras brasileiras possa ter ocorrido em Touros, e há argumentos para sustentar essa hipótese. Porém, mudar a história que já foi contada de outra forma envolve questões políticas, o que torna ainda mais dificultoso o reconhecimento do descobrimento em terras potiguares.

    ResponderExcluir
  4. Pois é .. acho muito difícil o Pico do Cabugi , não é redondo e dista de 112 Km do litoral o que seria de pouco provável avistamento .. também falta o PORTO SEGURO .. tão falado .. Acho que um marco e algumas deduções estranhas não são base suficiente para se mudar a história . A colonização sim, pode ter começado em Touros mas a descoberta em si com certeza não. Acho chata essa mania do povo em contestar o passado baseado apenas no desejo mesquinho de promover seu estado .

    ResponderExcluir
  5. Analisando as correntes maritimas os ventos e a embarcação seu peso e sistema de velame seria impossívem sair da ilha da madeira ou açores e atravessar o atlântico e chegar na bahia.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...