FOTO DE CAPA

Foto de Capa
Barra de Punaú - por Arilza Soares

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

AS VARIADAS FACES DA FLORA DA CAATINGA





Quando falamos de Caatinga sempre vem às nossas mentes a imagem de um ambiente árido, seco, com árvores sem folhas e esbranquiçadas. Realmente é assim que a vegetação se apresenta em grande parte do ano. Durante a estação seca, a paisagem da Caatinga parece inóspita e agressiva. Ao menor sinal de chuva, no entanto, a paisagem muda de cenário: o verde volta a prevalecer e as flores se abrem para receber seus polinizadores. A vida se reinventa na Caatinga!

                                             A CAATINGA EM DOIS TEMPOS

Principal ecossistema da região nordeste, a Caatinga apresenta formação vegetal com características bem definidas, árvores e arbustos que em geral perdem as folhas na estação seca, além de cactáceas. Possui grande variedade de espécies vegetais, alguns endêmicos, outros bem adaptados ao meio ambiente. A vegetação para se proteger da falta de água, criou mecanismos próprios de adaptação. Assim, encontramos plantas com folhas transformadas em espinhos, cutículas altamente impermeáveis e caules suculentos; algumas armazenam água e outras possuem raízes superficiais para captar o máximo de água das chuvas, mesmo em pequenas precipitações.



                         VEGETAÇÃO ADAPTADA PARA  ARMAZENAR ÁGUA

                         
A região é rica em recursos genéticos, dada a sua alta biodiversidade,  possuindo um potencial econômico ainda pouco valorizado. Em termos forrageiros, por exemplo, há espécies que podem ser utilizadas como opção alimentar para caprinos, bovinos e muares. Muitas plantas apresentam propriedades fitoterápicas e são usadas, na medicina popular, para tratamento de doenças. Além disso há que apesentam potencialidades frutíferas, com destaque para o umbuzeiro, considerado a "árvore sagrada do sertão".


PLANTAS FORRAGEIRAS
 
                                                    PLANTAS FRUTÍFERAS


PLANTAS MEDICINAIS


Estudos apontam, aproximadamente, três mil espécies de plantas da Caatinga, das quais mais de trezentas são endêmicas do bioma. Árvores como umbuzeiro, juazeiro, aroeira-do-Sertão, canafístula, angico, catingueira, pereiro e faveleira, marcam as paisagens das Caatingas, juntamente com os cactos: mandacaru, facheiro, xique-xique e coroa de frade, além de bromélias como a macambira e caroá.



UMBUZEIRO-JUAZEIRO-AROEIRA-PEREIRO-CANAFÍSTULA-ANGICO-CATINGUEIRA -FAVELEIRA
      MANDACARU-FACHEIRO-XIQUE-XIQUE-COROA DE FRADE-MACAMBIRA-CAROÁ



Na caatinga outras espécies botânicas aparecem como  barriguda, cedro, cumaru, feijão-bravo, jucá, jurema-branca, emburana de cambão, marmeleiro, mofumbo, mororó, mulungu, oiticica, pau-branco, pau-ferro, pinhão-bravo, sabiá, trapiá e o velame.
Os endêmicos carnaubais também formam florestas nas planícies aluviais dos rios do Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte e Bahia, cumprindo importantes funções de equilíbrio ecológico da região, como a conservação dos solos, fauna, cursos d'água e mananciais hídricos.



 
                               BARRIGUDA-CUMARU-FEIJÃO-BRAVO-JUREMA-MARMELEIRO-MUFUMBO-
              MAMONA VERMELHA-MANIÇOBA--OITICICA-PIÃO BRAVO- TRAPIÁ E SETE CASCA (CENTRO)                                       
                                              
                                         BRAÚNA-JUCÁ-MORORÓ-CRAIBEIRA-PAU BRANCO-SABIÁ´VELAME
                        JATOBÁ-FLOR DE SEDA-JURUBEBA-LICURÍ- QUIXABEIRA E MULUNGU (CENTRO)                                                

                                                         CARNAÚBA


Algumas plantas foram introduzidas na caatinga, e são tão bem adaptadas  à paisagem, que parecem nativas do Brasil. Entre elas a Algaroba, a Palma o Aveloz e a Leucena.


                                                         ALGAROBA


A algaroba é originária do Peru, e foi introduzida no Brasil, em 1942, no Município de Serra Talhada, sertão de Pernambuco.Possui uma madeira de boa qualidade, utilizada para fazer carvão e cercas. Suas vargens, são muito apreciadas pelos animais,e tem alto valor nutritivo. Ela também é considerada a planta com maior resistência à seca e à salinidade. Floresce,em plena seca e produz alimento para os animais, na época mais crítica do ano. Suas flores são muito bem visitadas pelas abelhas.



                                                            PALMA




A Palma forrageira é originária do México. Não se sabe ao certo a época de sua introdução no nordeste brasileiro, provavelmente, depois de 1900. É considerada uma forrageira estratégica. Possui um grande potencial produtivo e múltiplas utilidades, sendo usada, na alimentação humana, na produção de medicamentos, cosméticos e corantes.


                                                               AVELOZ

 

O Aveloz é origário da África. Foi introduzido no Brasil,no início da colonização Brasileira. Os animais,principalmente as cabras, gostam muito de suas folhas. Segundo as pessoas mais velhas, os animais que consomem o aveloz, não tem problemas com parasitas intestinais(vermes).


.
                                                               LEUCENA

 
A Leucena, é originária da América central,de onde se espalhou para várias partes do mundo. Dentre os seus principais usos, estão: alimentação animal (forragem), produção de madeira, carvão vegetal e melhoramento do solo. Essa planta tem uma boa resistência à seca, é uma ótima fonte de alimento para os animais, que adoram suas folhas e os galhos finos. Suas flores,também são muito apreciadas pelas abelhas.



                                                   ALGODÃO


Outra planta muito bem adaptada ao semi-árido nordestino é o algodão. Apesar de ser uma planta de clima sub tropical ou temperado e gostar de água abundante, tolera a seca. Prefere solos férteis e profundos, mas adapta-se basicamente a todos os tipos. É uma planta de porte arbustivo ramificado, de ciclo perene e que pode atingir uma altura até cerca de dois metros.



FONTES:

  •  Pesquisa Google:

- Site Wikipédia- Caatinga

- Site: Grandes Biomas do Brasil -http:/4bp.blogspot.com-Caatinga

- Site: IBAMA - Ecossistemas Brasileiros:Caatinga -www.ibama.gov.br/ecossistemas caatinga.
-Site: Rômulo Cavalcanti Braga - Artigo sobre a Caatinga

- Site: João Ambrósio de Araújo Filho -Potencial Forrageiro da Caatinga Universidade Estadual do Vale do Acaraí (UVA)
-Site: Genan Oliveira - Artigo sobre a Caatinga.

- Site: Mauro Pichorim - Pesquisa realizada pela Fundação Boticário e  FUNPEC ( Fundação de Pesquisa e Cultura) da Universidade Federal do Rio Grande

Site: Meliponário Braz -www.urucueabelhasnativas.blogspot.com
  • Inara Leal - "Ecologia e Conservação da Caatinga" - Editora: universidade Federal de pernambuco (UFP




FOTOS:
  • Imagens Google
  • Edição de Fotos: Site Pic-Monkey







3 comentários:

  1. Aldaiza da Silva Menezes Mudo18 de fevereiro de 2013 09:26

    Excelente blog. Sou Biologa e sertaneja.Esse é o meu chão, minha paisagem. Lindo demais.Parabens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Aldaiza - fico muito feliz quando leio comentários como o seu. Me estimula para continuar postando sobre esse nosso chão. Bjos

      Excluir
  2. Arilza, muito lindas as fotos. Sou proprietário e apaixonado pela caatinga. Minha propriedade é na Bahia, em Milagres, a 230 km de Salvador, e, se você se interessar, fique à vontade para conhecer e fotografar. Parabéns!

    ResponderExcluir