FOTO DE CAPA

Foto de Capa
Barra de Punaú - por Arilza Soares

domingo, 10 de junho de 2012

CASA DO CORDEL EM NATAL/RN - ONDE A ARTE E A CULTURA POPULAR FALAM MAIS ALTO!

             



A minha paixão pela literatura de cordel vem desde a minha infância. Desde cedo embarquei na viagem desses poetas populares. Aprendi com eles a me encantar os nossos costumes e as nossas crenças. Aprendi a  rir das historias narradas de forma tão peculiar, escritas por pessoas "não letradas" como  eram chamados pejorativamente esses poetas e escritores. E as ilustrações dos folhetos? Lindas! Ainda hoje sou fissurada em xilogravuras. Sempre que vou ao Nordeste  procuro me abastecer de folhetos de cordel, que na minha opinião é um retrato muito autêntico da poesia do nordestina.


Minha visita à Casa do Cordel em junho de 2012

Ter encontrado a Casa do Cordel foi portanto motivo de muita alegria, principalmente por saber que o Cordel ainda vive na minha cidade, e por vê-lo valorizado e divulgado. Essa postagem é a minha forma de agradecer ao Poeta Abaeté e ao seu filho Ericy pela brilhante iniciativa. Vida longa para a Casa do Cordel e para todos esses escritores e poetas populares do meu Nordeste que continuam nos presenteando com suas histórias fantásticas dos seus cordéis maravilhosos, onde a  imaginação e a arte são a obra prima.


Com o Poeta Abaeté, na casa do Cordel, em fevereiro de 2015





SOBRE A CASA DO CORDEL EM NATAL



                  
Quem acha então que cordel é coisa do passado precisa conhecer a Casa do Cordel em Natal/RN, fundada no dia 17 de agosto de 2007, por Erivaldo Leite de Lima, o poeta Abaeté. A casa funciona na Rua Vigário Bartolomeu no Centro da cidade, próximo ao Beco da Lama, região muito frequentada por boêmios e artistas potiguares. O local é o primeiro espaço cultural do Rio Grande do Norte totalmente destinado a valorização e divulgação dos artistas populares envolvidos nessa arte de contar histórias. 
No convite para a inauguração do espaço, com direito a sarau e café da manhã, se lia:




A Casa do Cordel não é apenas um ponto de venda de cordéis. É muito mais que isso! É um novo ponto de encontro da cultura popular, com propostas objetivas de promover encontros de cordelistas, realizar feiras, exposições, palestras, lançamentos de livros, tertúlias e saraus nos finais de tarde. O espaço está aberto para todos que se interessam pela cultura popular; a todos que quiserem enriquecer e se enriquecerem  culturalmente, numa troca que que aumenta a cada dia. "Quando a gente colocou a Casa do Cordel aqui muita gente começou a frequentar. Era uma novidade pois aqui e em nenhum outro canto do RN tem uma casa como essa, trabalhando e divulgando a cultura popular"- diz o poeta Abaeté.



                                             O poeta Abaeté e sua casa do Cordel


Abaeté do Cordel é poeta, cordelista, escritor e compositor. Natural de Sertânia, estado de Pernambuco, sertão de Moxotó morando no Rio Grande do Norte há mais de 20 anos.Se considera um "Pernampo" (Pernambuco- Potiguar). Os seus trabalhos se encontram espalhados em vários países como Portugal, França, Espanha e Estados Unidos.
Presidente da Associação de Cordelistas de Natal, Idealizador e organizador da Casa do Cordel, o poeta é autor de mais de 500 títulos de literatura de cordel, entre eles: " O casal que engatou no parque industrial" "Antologia do Peido"" O câncer Infantil" "4 Estrofes" "O Pássaro da Asa Quebrada"... Além disso possui um acervo muito grande de folhetos com versos de grandes nomes da literatura popular como Antônio Francisco, Crispiniano Neto, Paulo Varela, Bob Motta, Manoel Azevedo, e muitos outros.
Por sua intensa atuação em Natal, o poeta pernambucano, recebeu em 2014  o Título de Cidadão Natalense.






                                          Folhetos de Abaeté do Cordel

  


   A XILOGRAVURA NA CASA DO CORDEL






As paisagens do sertão nordestino misturadas aos elementos do imaginário popular, como lobisomens, sereias aladas, cavalos de fogo, são impressos com frequência nos livros de cordel a partir da técnica da xilogravura. A técnica milenar surgiu como recurso de reprodução de impressos e ganhou status de arte nas mãos de  grandes pintores europeus. No Nordeste a xilografia se popularizou e vem sendo preservada or grandes mestres, como o pernambucano J. Borges, considerado o maior gravador popular em atividade no Brasil.Em Natal o jovem potiguar o Erick Lima, produz gravuras para ilustrações de folhetos, livros, discos, camisetas, cerâmicas decorativas, além de trabalhos sob encomenda.


                                 Erick Lima - Xilógrafo da Casa do Cordel



Erick Lima começou a trabalhar com xilogravura em 2007.Desde a infância teve imerso nesse universo a cultura popular nordestina; seu pai, o pernambucano Erivaldo Leite de Lima, conhecido como Peta Abaeté, é um cordelista atuante no estado do Rio Grande do Norte. E foi para ilustrar as histórias de seu pai e de seus amigos que Erick fez as primeiras  maatrizaes em madeira. Além do trabalho no ateliê, ele também ministra oficinas em escolas, universidade, empresas ou oficinas individuais.


ALGUMAS XILOGRAVURAS DE ERICK LIMA






A ATUAL CASA DO CORDEL EM NATAL






Depois de sete anos funcionando no mesmo local na rua Vigário Bartolomeu, a Casa do Cordel mudou, em setembro de 2014, para um prédio próximo ao antigo endereço.
No novo espaço,um prédio de dois andares, funcionam a loja( no andar térreo)onde estão a venda,além dos cordeis, livros,quadros, artesanatos e objetos antigos como rádios, máquinas de costura e outras quinquilharias referentesa cultura popular nordestina. O andar superior, com aceeso pelo lado de fora da loja, é o local destinado para encontros, palestras, eventos e oficinas.



IMAGENS DA LOJA DA CASA DO CORDEL












IMAGENS DA ANTIGA CASA DO CORDEL









Fontes:
  1. Site da casa do Cordel - Blog -casadocordel.blogspot.com
  2. Jornal Tribuna do Norte Edição de 19/05/2010- Reportagem de Maria Betânia Monteiro-" Herdeiro da Xilogravura"
Fotos:

  • Imagens Google
  • Acervo de Arilza Soares
  • Edição de Fotos: Site Pic-Monkey






5 comentários:

  1. Elizabeth Reis Dalmeida

    Oi Arilza.Sabe,eu praticamente não conheço literatura de cordel.Me chamaram muito a atenção as ilustrações dos livros em exposição no seu blog.E também é claro os comentários - sobre a riqueza que há nesses conteúdos.Esses livrinhos são encontrados com facilidade nas livrarias?
    domingo às 19:18

    Arilza Pereira

    Não Elizabeth Reis Dalmeida Eles são vendidos nas feiras e locais de venda de coisas do Nordeste. São folhetos pequenos vendidos por 1,00 cada um. É uma leitura para divertir, contadas em rimas.Os temas são infinitos- tem de tudo, Fiz uma postagem só sobre Cordel que dá pra se ter uma ideia melhor.Vou compartilhar o link pra vc. bjos
    domingo às 20:03

    Elizabeth Reis Dalmeida

    Obrigada pela informação.Esses folhetos poderiam ser mais divulgados - no Sul,Sudeste e não ficarem restritos ao Norte e Nordeste.
    domingo às 21:54 ·

    Comentário no Facebook·

    ResponderExcluir


  2. HISTORINHAS BOAS ESSAS.... AGUÇA A NOSSA IMAGINAÇÃO...
    Edi Germano - Natal/RN

    ResponderExcluir

  3. Tem muita leitura boa e divertida nessa casa!
    Ailson Rosa Silva - Natal/RN

    ResponderExcluir
  4. Geraldo de Caicó

    Alô Abaeté, sou eu Geraldo de Caicó mas resido em Rondônia. A guarde-me que estarei chegando no período do Natal. Você sabe que é visita certa aí na Casa do Cordel. Parabéns por todo seu trabalho em prol da nossa cultura.Estou concluindo mais três cordeis para este final de 2012.A partir de 2013 apresentarei o prjeto CORDEL CANTADO, de princípio, ele tomará base nas escolas e Teatros do Estado de Rondônia.Tudo já se prepara para o advento do cordão do barbante Encordelado. Até lá amigo.

    ResponderExcluir