FOTO DE CAPA

Foto de Capa
Flor do Mandacaru

segunda-feira, 4 de maio de 2015

CARIMÃ - CARDÁPIO INDÍGENA QUE TRANSFORMAMOS EM BOLOS, MINGAUS, PAPAS E PAMONHAS. VEJAM AS RECEITAS!






Na casa dos meus pais a carimã sempre fez parte da nossa culinária, pricipalmente na forma de "papa", ou como ingrediente básico para fazer o tradicional bolo preto ( Pé-de-moleque).Durante muito tempo torci o nariz para essa massa rica em amido, ferro e fibras, por causa do odor que exala. Não ia pra cozinha preparar nada com carimã, porque o cheiro fédido da fermentação me provocava náuseas. Mas depois de tudo pronto, não dispensava nem dispenso, até hoje a papinha, uma fatia de bolo preto ou o bolo feito só com a carimã. Acho tudo uma delícia!





Carimã (do tupi karimã) - é um produto da mandioca obtido a partir da fermentação da raiz. O processo de produção da massa é herança indígena.

"Carimã no Nordeste é a mesma farinha de mandioca puba também dita mandioca mole. Põem a mandioca com casca e tudo em vasilhas com com água ao sol durante 4 a 5 dias até amolecer e a casca afrouxar, largando pelo simples contato. Colocam essa mandioca dentro de um saco, pendurado para escorrer, um a dois dias. Tira-se a massa e espreme-se com a mão fazendo-se bolinhos oblongos que vão secar numa urupema ao sol. Não se tira, pelo exposto, "goma" da carimã como se tira da mandioca ralada. Aproveitam-na toda! Por isso a carimã é mais forte e substancial"

"Da carimã, com maior percentagem de amido, nascem os mingaus, os bolos que a mulher portuguesa criou e recriou, esquecendo a farinha de trigo"

Luiz da Câmara Cascudo: Cardápio Indígena -História da Alimentação do Brasil 




.
A massa de carimã é encontrada nas feiras e supermercados do Nordeste, vendidas por unidade na forma bolinho redondo (uma carimã) ou por quilo, na forma de farinha  acondicionada em sacos plásticos. Os bolos, mingaus, papas ou pamonhas feitas com essa massa são indiscutivelmente deliciosos e saboreados com prazer por quem sabe apreciar essas guloseimas regionais.




RECEITA DO BOLO DE CARIMÃ






O Bolo de Carimã é um dos bolos mais populares no Nordeste, e o mais interessante, é que é um bolo feito de maneira diferente por cada pessoa, na maioria das vezes sem receita definida; "não sei as medidas direito, faço misturando tudo sem medir e no final dá certo" dizem as boleiras mais experientes. Tem quem faça o bolo todo batido no liquidificador; tem quem use fermento; tem  quem bata as claras em neve...
Como encontrei uma variedade enorme de maneiras de fazer esse bolo optei pela receita da minha colaboradora, em culinária, Marilda Nascimento. Eis a receita!


Ingredientes

  • 3 Carimãs (aproximadamente 4 xícaras de carimã)
  • 4 ovos
  • 3 xícaras de açúcar
  • 4 colheres de sopa de manteiga
  • 200ml de leite de coco fresco 
  • 1 colher de sopa de pó royal

             
Modo de preparar


  • Bater os ovos com a manteiga e açúcar até formar um creme
  • Adicionar a carimã peneirada, o leite de coco e o pó royal.
  • colocar na forma de sua preferência ou tabuleiro, untada e povilhada com farinha de trigo
  • Levar ao forno quente préaquecido.




Depois de pronto, o bolo de carimã tem a aparência de bolo solado, gênero de bolo muito apreciado pelos nordestinos, no café da manhã ou lanche da tarde.



RECEITA DO MINGAU DE CARIMÃ




Desde 1806 que se tem relatos escritos sobre o mingau de carimã.Joaquim José Lisboa. alferes do Regimento Regular de Vila Rica, cita-o no seu Descrição Curiosa:


E bolos de carimãs
        Destes bolinhos, Marília,
          Usam muito aqueles povo
                  Fazendo  um mingau com ovos
      Quase todas as manhãs

Câmara Cascudo escreve: " da carimã nasceu pela mão portuguesa, o mingau de carimã, feito com leite de gado, açúcar, canela, ligeiro, gostoso, nutritivo."



Ingredientes  


  • 1/2 xícara (chá) de água
  • 5 cravos
  • 1 pedaço de canela em pau
  • 1 1/2 xícara (chá) de carimã
  • 500ml de leite de coco
  • 2 litros de leite
  • 1 litro de água
  • 2 colheres (chá) de sal
  • 1 xícara (chá) de açúcar
  • 1 colher (sopa) de manteiga
  • Canela em pó  

Modo de Preparar

  • Esquente a água e faça um chá com o cravo e a canela.
  • Reserve.
  • Coloque a carimã em um saco de pano, lave em água corrente e esprema bem, de modo que fique seca.
  • Misture o leite de coco com a carimã.
  • Reserve.
  • Em um panela, coloque o leite e a água para ferver.
  • Adicione a carimã com o leite de coco, misturando até engrossar.
  • Coloque o sal, o açúcar, a manteiga e o chá de cravo e canela.
  • Continue misturando, até que fique bem cozido.
  • Sirva quente, polvilhado com canela em pó. 


RECEITA DA PAPA DE CARIMÃ






Bem mais simples que o mingau, a papa de carimã é excelente complemento alimentar para as crianças. A receita é do meu irmão Alínio, que até hoje não abre mão de uma "papinha de carimã", segundo ele, mais deliciosa e mais nutritiva que as papas com produtos industrializados oferecidas hoje em dia as crianças.



Ingredientes


  • 1 carimã
  • 200ml de leite aproximadamente
  • canela em pó
  • açúcar a gosto
Modo de preparar

  • Lave bem a carimã e seque com um guardanapo de pano.
  • Peneire a carimã e coloque em uma panela de ágata junto com o leite e o açúcar.Misture bem.
  • Leve ao fogo mexendo sempre até engrossar,
  • Sirva povilhado de canela em pó.



RECEITA DE PAMONHA DE CARIMÃ




Confesso que nunca provei da pamonha de carimã! Como adoro pamonhas e carimã, achei que essa receita seria deliciosa  além de muito peculiar. Vai então,a receita que encontrei no site da internet "Comidas e Receitas"

Ingredientes

  • Folhas de Bananeira
  • 1kl de carimã
  • 2/3 de xícara de chá de coco fresco ralado
  • 500 ml de leite de coco
  • 1 xícara de chá de água
  • 1 e 1/2 xícara de cha´de açúcar
  • 2 colheres de chá de sal

Modo de Preparar

  • Passe as folhas de bananeira na chama do fogão para que fiquem flexíveis. 
  • Coloque a carimã em um saco de pano, lave em água corrente e depois esprema bem, retirando a água.
  • Adicione a carimã, o coco, o leite de coco, a água, o açúcar e o sal em um recipiente e misture bem até formar um creme.
  •  Faça um cilindro com um dos pedaços da folha de bananeira, encha com o creme e feche o pacote.
  • Repita a operação com os outros cilindros de folha de bananeira até acabar o creme.
  • Coloque os pacotes em uma panela com água fervendo e deixe cozinhar por aproximadamente 25 minutos.
  • Retire as pamonhas com uma escumadeira. Sirva frio  


RECEITA DE BOLO PRETO




O bolo preto  também conhecido como pé-de-moleque é o mais famoso dos bolos feitos com carimã. Há bem pouco tempo  seu consumo se restringia a época dos festejos juninos. Atualmente é possível encontrá-lo nas padarias e supermercados, durante o ano todo.


Ingredientes

  • 1 kg de carimã  (mandioca fresca ralada)
  • 1 copo  de leite de coco
  • 1 rapadura grande
  • 1 e 1/2 colher de sopa de margarina derretida
  • 1 colher de sopa de cravo-da-índia
  • 1 colher de sopa de erva-doce
  • castanhas de caju




Modo de Preparar

  • Derreta a rapadura no fogo com 1/2 copo de água. 
  • Em uma tigela misturar a mandioca ou carimã, a manteiga, o leite de coco. 
  • Acrescente aos poucos a rapadura derretida e por fim a erva-doce e o cravo-da-índia. 
  • Se a massa ficar mole,coloque mais um pouco da carimã até adquirir a consistência ideal.
  • Despeje em uma forma retangular média e decore com castanha de caju.
  • Leve para assar em forno médio.
  • O bolo estará pronto quando você espetá-lo com uma faca e essa sair limpa. 
  • Pincele o bolo com leite de coco assim que esse sair do forno.
Fontes:


     1 - Texto
  • História da Alimentação no Brasil - Luiz da Câmara Cascudo - Editora Global - São Paulo/2011
  • Pesquisas Google - Sites:





  • http://pinheiroempauta.blogspot.com.br/2014/09/a-mandioca-o-pao-da-terra.html
  • https://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20081213060404AAf6sX

  •       
       2 - Receitas

    • Do Bolo- Marilda Nascimemto - Natal/RN
    • Do Mingau - Site Vitrine do Sabor  - http://www.avitrinedosabor.com.br/regional-baiana/13408-mingau-de-carima.html
    • Da Papa - Alinio Rosa - Natal/RN
    • Da Pamonha Site: Comidas e Receitas http://www.comidaereceitas.com.br/doces-e-sobremesas/pamonha-de-carima.html
    • Do Bolo Preto: Angelita Soares - Natal/RN


    FotosImagens Google - Sites:

    • http://www.cybercook.com.br/receita-de-mingau-de-carima-r-99-66607.html
    • http://www.avitrinedosabor.com.br/regional-baiana/13415-pamonha-de-carima.html
    • https://www.pinterest.com/source/avitrinedosabor.com.br/
    • http://comiporai.com/2010/11/11/na-bahia-tem-tem-carima/
    • http://bolosvilma.com.br/shop/loja/
    • http://www.ceasacampinas.com.br/novo/DicasVer.asp?id=639
    • http://sitedobareta.com.br/municipios/umbauba-lancara-projeto-de-incentivo-ao-cultivo-da-mandioca-10-12-2009
    • http://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/1490-quarta-assembleia-da-hutukara-associacao-yanomami-em-toototobi-am#foto-27770
    • http://www.grupos.com.br/group/arteculinaria/Messages.html?action=message&id=1213929700849031&year=08&month=6
    • http://come-se.blogspot.com.br/2007/12/da-mandioca-tapioca-e-ao-polvilho.html
     

    sábado, 2 de maio de 2015

    A BELA MATRIZ DE SANT'ANA EM CURRAIS NOVOS/RN






    Não há quem não se encante com a Matriz de Currais Novos, dedicada a padroeira da cidade. A Matriz de Sant'Ana é certamente um dos mais belos momumentos da cidadeConstruída em estilo gótico romano, com detalhes rococó nos frontais, a Igreja, de cores internas vibrantes, é bem conservada. Em 1980 passou por uma grande reforma quando foi realizado um grande e meticuloso trabalho de restauração em toda madeira, as telhas e o forro, também de madeira, substituído por laje de concreto.







    A atual Igreja Matriz de Currais Novos, teve como origem uma capelinha simples construída em 24 de fevereiro de 1808, como pagamento de uma promessa feita pelo Coronel Cipriano Lopes Galvão.
    Segundo relatos de Celestino Alves, em Retoques da História de Currais Novos, o Coronel, aflito com a grande seca de 1755, fez uma promessa: " se Deus fosse servido para que chovesse e enchesse as cacimbas para escapar o gado, ele erigiria uma capela em homenagem à gloriosa Senhora Santa Ana na sua fazenda"
    Tal promessa foi feita em 26 de julho, dia em que a água acabou totalmente. Na mesma noite, choveu e os rios e cacimbas encheram, formando um novo poço próximo aos currais, que passou a ser chamado de Poço de Sant'Ana.








    O Coronel Cipriano morreu em 1764. Coube então a seu filho mais velho, o Capitão-Mor Cipriano Lopes Galvão cumprir  a promessa do pai, doando "meia légua de terra" na ponta da Serra do Catunda, para a construção da capela.
    Em 1808, a dita promessa foi cumprida. A autorização para a construção, foi outorgada pelo Bispo de Olinda em 24 de fevereiro de 1808. Em julho do mesmo ano, mais precisamente no dia 26, o Padre Francisco Brito Guerra faz o lançamento da Pedra Fundamental. A doação das terras para a construção da Capela, está registrada em escritura lavrada em 5 de janeiro de 1808.





    Com o passar do tempo, a antiga capela, já Matriz, não mais condizia com as cerimônias litúrgicas e o número de fieis. No dia 11 de outubro de 1889, o antigo templo foi demolido para dar lugar ao atual, um monumento religioso bem maior e bem mais bonito. 





    No seu interior a  igreja exibe em seu altar-mor (gótico com influência barroca) a imagem da padroeira, Sant’Ana, trazida de Recife ainda em 1808, pelo Capitão-mor Galvão, ladeada de São José e São Joaquim.





    À direita do altar, esculpido em madeira de cedro, está um grande Cristo Crucificado. Outras imagens de Santos complementam o belo cenário da igreja: Gruta Nª Senhora de Lourdes e Santa Bernadete -  Nossa Senhora de Fátima - Coração de Maria - Nossa Senhora da Conceição -  Nossa Senhora Aparecida -  Nossa Senhora do Perpétuo Socorro  - São Francisco -  Santo Antonio de Pádua - São Sebastião - Santa Terezinha - Nossa Senhora Soledade -  Nossa Senhora das Graças -  São Tomaz de Aquino - Santa Joana D’arque -  Santa Tereza.









    A GRUTA DE LOURDES

    Um dos recantos da Igreja abriga a Gruta de Lourdes, construída em 1929, por Manoel Tomaz de Araújo juntamente com o Padre Ulisses Maranhão, vigário da paróquia na época. A gruta foi pintada e decorada por dona Neuzinha. esposa do médico da cidade Dr. José Neves. As pedras que decoram a gruta foram trazidas de Portugal.






    O VELHO RELÓGIO DA MATRIZ


    Na parte externa da igreja, no alto da torre, o velho relógio repete com um sinal sonoro, a chegada de cada hora cheia e emite um outro sinal a cada meia hora.  O relógio, presente do senhor Francisco de Oliveira Galvão em 1917, é dos poucos no Rio Grande do Norte que funciona e está em perfeito estado.O equipamento até hoje adorna a torre da matriz, marcando o ritmo do tempo.




    A  Matriz de Sant’Ana também serviu para guardar os restos mortais de algumas personalidades marcantes da história da cidade como o Capitão Mor Cipriano Lopes Galvão, Padre Manoel Joaquim, Monsenhor Paulo Herôncio e Monsenhor Ausônio Araújo, além de Adelmara Chacon de Mello.








    A FESTA DE SANT'ANA PADROEIRA DA CIDADE








    Por tradição o mês de Julho em  Currais Novos é dedicado a Sant'Ana,  avó de Jesus, mãe de Maria. A programação portanto, antecede ao dia da padroeira. A festa é um evento religioso-sócio-cultural de grande projeção, atraindo visitantes e turistas de outras cidades. A programação religiosa consta de novenas, missas, visitas domiciliars da imagem peregrina, e a procissão no dia dedicado a padroeira -26 de julho.











    Na parte social acontecem os leilões, a feirinha de Sant'Ana, as barracas de artesanato, as barracas comidas regionais, além de shows com artístas convidados. O jantar de Sant'Ana, o baile da nostalgia, a feirinha do agricultor  e a cavalgada de Sant'Ana são destaques nos festejos da padroeira. A Procissão, que se realiza  desde a inauguração da primeira Capela em 1808 é o ponto alto das homenagens a Sant'Ana  em Currais Novos.







    FONTES:
    • Pesquidas Google / Sites:
    - Site Oficial da Prefeitura de Currais Novos
    http://www.curraisnovos.rn.gov.br/portal1/municipio/historia.asp?iIdMun=100124035

    -  Revista Seridó on line : Currais Novos  e Religião Denise Santos Fotos: Alberanir / Mazilton

    FOTOS:
    •  Acervo do Vento Nordeste
    •  Imagens Google/Sites:
    https://www.facebook.com/ParoquiaDeSantAnaDeCurraisNovos/photos_stream
    - http://blogtangaraense.com.br/wp-content/uploads/2014/07/42.jpg
    - http://www.natalonline.com/interior/currais-novos
    -http://saovicentenews.blogspot.com.br/2012/07/festa-de-santana-de-currais-novos.html
    -http://mestresemrede.blogspot.com.br/2011/07/festa-de-santana-em-currais-novos.html
    - http://saovicentenews.blogspot.com.br/2012/07/festa-de-santana-2012-chegou-ao-fim.html
    ttp://robertosociologo.blogspot.com.br/2011/07/historia-da-festa-de-santana-de-caico.html






    terça-feira, 8 de julho de 2014

    O LENDÁRIO MONTE DO GALO E O SANTUÁRIO DE NOSSA SENHORA DAS VITÓRIAS EM CARNAÚBAS DOS DANTAS NO RN



    ´

    Chovia à cântaros quando estive esse ano em Carnaúba dos Dantas. Podia ter sido muito frustrante  pra mim que pretendia fotografar o Monte do Galo em todos os seus detalhes. Mas, tomar banho de chuva em pleno sertão nordestino, depois da tão esperada e desejada chuva, não podia ser melhor. Fiquei feliz demais e me senti a própria mensageira da chuva. Assim, entre uma estiagem e outra, sai para subir o Monte do Galo e percorrer o caminho da Via-Sacra que leva ao topo. Aproveitei para agradecer a Deus aquele momento único e em oração pedir mais chuvas para o nosso sertão.








    Cercado de lendas e de algumas polêmicas religiosas o Monte do Galo com seu 115 metros de altura, visto de vários pontos da cidade, é hoje um marco da cultura religiosa do nosso sertão. A pequena Carnaúba dos Dantas recebe milhares de fiéis de todas as partes todos os anos.
    Nos últimos tempos com o crescimento do número de evangélicos na cidade, uma grande polêmica se estabeleceu: os evangélicos acusam a igreja católica de ser conivente com a Idolatria - o Culto ao Galo. Mas, indiferentes as polêmicas, romeiros e peregrinos continuam chegando na cidade para professar sua fé à Nossa Senhora das Vitórias.






    Na cidade de Carnaúba dos Dantas, município do Rio Grande do Norte, o antigo "Serrote Grande" posteriormente conhecido com "Serrote do Galo" e hoje "Monte do Galo", abriga o Santuário de Nossa Senhora das Vitórias, tido como o maior Santuário Religioso de toda região sertaneja do Seridó, que compreende vários municípios do Rio Grande do Norte e da Paraíba.
    O Conjunto Religioso do Monte do Galo, está  localizado no bairro Dom José Adelino Dantas, da cidade referida cidade. O local, onde religiosos, pagadores de promessas e peregrinos de todos os lugares sobem para rezar e agradecer as bênçãos conseguidas, conta com Capela, Cruzeiro, Sala dos Ex-Votos e a Via Sacra ao longo da subida do Monte. No topo do Monte a escultura de um Galo parece saudar a todos que ali chegam. 



     HISTÓRIAS E LENDAS ACERCA DO MONTE









    Segundo a tradição oral, nas primeiras décadas de 1800, os vaqueiros da Fazenda Baixa Verde, que pertencia ao Major Antônio Dantas, enquanto cuidavam do gado nas proximidades da região do Serrote Grande escutaram o cantar de um galo vindo do topo do serrote. Isso os deixavam assustados porque não haviam habitantes nas proximidades. A notícia do misterioso fato logo se espalhou, e o Serrote Grande passou a ser conhecido como Serrote do Galo.







    Outro acontecimento contribuiu mais ainda para que a população acreditasse que alguma coisa de divino existia no naquele monte. Segundo consta, uma cabra pulou do cume do Serrote, sem  sofrer nenhum dano em consequência da queda. Apesar desses animais terem certa familiaridade com locais íngremes e pedregosos, os 115 metros de altura do Serrote do Galo era uma altura considerável.
    Esses dois acontecimentos foram suficientes para os nativos passassem a considerar o serrote como um Monte Santo.




    A HISTÓRIA DE UMA DEVOÇÃO






    As origens históricas do Santuário, tem a ver com a devoção particular do Senhor Pedro Alberto, para quem Nossa Senhora das Vitórias operou um milagre. Segundo contam, Pedro Alberto Dantas (1878-1960) morava com sua família no sítio Xique-Xique. No início do século XX, durante o Ciclo da borracha, partiu para região Norte com esperança de melhorar de vida,. Trabalhando entre o pará e o Amazonas, ladeando as margens do rio Puruz, foi acometido de berebéri. Ficou entre a vida e a morte. Sua filha, Julia Albertina Dantas, assim relata como se deu o milagre:
    ..." Ai ele estava lá, ardendo em febre, três dias, era uma febre terrível...dormindo e acordando. No delírio da febre, aparece Nossa Senhora das Vitórias. E ela diz pra ele:
    - Se queres viver, volte a sua terra Natal o quanto antes e leva contigo uma imagem minha.
    -  E ele pergunta: Quem é a senhora?
    - Ela responde: Eu sou Nossa Senhora das Vitórias, sua protetora"
    Cessada a grande febre e reviogoradas as suas forças, Pedro Alberto resolveu voltar para sua terra natal. Antes passou em Belém onde comprou a imagem de Nossa Senhora das Vitórias. Embarcou num navio da Loide para Natal, de onde seguiu para o Seridó em um cavalo, conduzindo a  imagem de Nossa senhora na cangalha de um jumento.







    "Então ele veio pra Carnaúba... trazendo a santinha. diz dona Julia Albertina, continuando a sua narrativa: Quando ele voltou, conheceu o primeiro médico de Carnaúba, Flávio Maroja, paraibano; então ele disse: "Pedro, mas que lugar mais lindo, vamos passear nesse lugar” (o Serrote do Galo). Então eles foram até lá... e o Doutor Flávio falou: "Mas um lugar bonito desse, ninguém nunca pensou aqui em nada... em transformar isso num lugar de turismo?"E meu pai disse: "Aqui é um lugar sagrado, onde o Galo cantou anunciando à meia-noite... aqui é pra ser um local de oração". Então ele se juntou com outros que tinham condições, influência... colocaram o Cruzeiro que está lá até hoje


    O CRUZEIRO DO ALTO DO MONTE






    O Cruzeiro foi construido pelo artesão José Paizinho, sob a orientação de Mamede Azevedo. O obra religiosa foi assumida pelo senhor Pedro Alberto Dantas. Previsto para ser inaugurado no dia 27 de setembro de 1928, a data teve que ser adiada devido a uma grande tempestade ocorrida no dia. Na nova data marcada, dia 25 de outubro do mesmo ano, o Cruzeiro foi bento pelo Padre Bianor Emílio Aranha, que celebrou na ocasião a primeira missa.




     INAUGURAÇÃO DO CRUZEIRO NO SERROTE DO GALO EM 25/10/1928




    A IMAGEM DE NOSSA SENHORA DAS VITÓRIAS






    A imagem da Nossa Senhora das Vitórias, que chegou a Carnaúba ds Dantas pelas mãos de Pedro Alberto Dantas, passou inicialmente a fazer parte do oratório da sua família até seu casamento, em 1911. Posteriormente doou a imagem para a Igreja de São José, que lá permaneceu num dos altares laterais da igreja. 
    Por ocasião da inauguração do Serrote do Galo, o senhor Pedro Alberto Dantas, acreditando que aquele local era santo, resolve fazer a doação da imagem de Nossa Senhora das Vitórias, para o Cruzeiro. A referida imagem  subiu para o serrote em procissão religiosa. Nascia assim a devoção à  Nossa Senhora das Vitórias, que passou a ser a protetora daquele serrote e da terra carnaubense.




    A  CAPELA DE NOSSA SENHORA DAS VITÓRIAS






    A inauguração da capela, construída no topo do monte data de 1930, numa cerimônia onde acorreu grande número de devotos. A documentação escrita registra que os festejos dedicados a Nossa Senhora das Vitórias é anterior a inauguração da capela, e começaram, sefetivamente, 1929, de 23 a 25 de outubro - sendo o último comemoração do dia da santa, mantidos até hoje dessa forma.



    O GALO NO ALTO MONTE






    A Estátua do Galo está colocada em cima de uma estrutura rochosa no topo do monte. A placa nele colocada fala das datas : 1927 - 1992. A primeira data provavelmente se refere a intenção dos moradores da região em erguer um galo no topo do monte, para homenagear a tradição dos antepassados e suas lendas do cantar do galo. Mas devido às precárias condições econômicas dos habitantes, resolveu como solução mais viável erguer um Cruzeiro, que representa a fé católica dos habitantes da região que exaltaria a fundação de carnaúba. A segunda data (1992) se refere a construção do Galo que se deu mais recente. 
    A estátua do Galo mede 1,55 metros de altura e pesa cerca de cinco toneladas.





    A VIA - SACRA NA SUBIDA DO MONTE








    Na subida, até o topo do monte foram erigidas as 14 estações que retratam a Paixão de Cristo. A inauguração dessa Via-Sacra ocorreu em 1957.
    Nestas estações, os romeiros, devotos, peregrinos, por vezes, até mesmo curiosos, costumam realizar orações e agradecer as bênçãos alcançadas. Procurando testemunhar sua gratidão ou o pagamento da promessa, muitos deles acendem velas sobre as estruturas, ou depositam ex-votos, além de pedras, flores e até mesmo acanhadas quantias em dinheiro. Alguns chegam a escrever na própria estação palavras de agradecimento, misticismo que embora seja desaprovado pelos dirigentes do culto, persiste e se atualiza no espaço do Monte do Galo, como um modo de aproximação com o sagrado






    O MUSEU HISTÓRICO E A SALA 
    DE EX-VOTOS 






    Inaugurado em 06 de janeiro de 1974 pelo tesoureiro do Monte do Galo, Antônio Felinto Dantas. O momento da inauguração contou com a presença do Bispo Dom José Adelino Dantas e do  maestro e compositor Felinto Lucio dantas. O museu, que está localizado logo no início da subida do monte, contém peças doadas pela comunidade e por pessoas de outras regiões. As peças são objetos pessoais, oratórios, moedas, cerâmicas antigas, móveis, entre outros. No ano de 1998, foi feita uma ampliação nas suas dependências. O Museu não é aberto diariamente, funcionando apenas no período da Semana Santa, festas religiosas e com a permissão do tesoureiro do Monte do Galo.


    A FESTA DE NOSSA SENHORA DAS VITÓRIAS







    Novenas, missa solene no Monte do Galo, missa na Igreja Matriz de São José,  procissão, feirinhas culturais e festas de rua, fazem parte programação da festa em homenagem a Nossa Senhora das Vitórias. A festa qcomeça quase sempre dez dias antes do dia dedicado a Santa, 25 de outubro.
    E como é tradição, durante esses 10 dias são esperados em Carnauba dos Dantas, milhares de peregrinos que em caravanas de fé, vem agradecer suas promessas e restabelecer as esperanças, como é comum entre o povo do sertão norte-riograndense e paraibano.



    A ENCENAÇÃO DA PAIXÃO DE CRISTO DURANTE A SEMANA SANTA






    Durante os últimos dias da Semana Santa, a cidade de Carnaúba dos Dantas se torna um dos pontos turísticos mais visitas da região. Romeiros, filhos da terra ausentes e presentes recorrem à cidade para se emocionar com o Espetáculo da Paixão de Cristo, encenado na Praça do Monte do Galo. A cada ano, o espetáculo ganha mais reforço de luz, som e roteiros que tornam a encenação mais emocionante.
    Com a participação de artistas da própria comunidade, o espetáculo tem mais ou menos duas horas de duração, e narra ao vivo desde o nascimento até a morte e ressurreição de Jesus Cristo.



    FONTES


    1. Helder Alexandre Medeiros de Macedo: Cernaúba dos Dantas - Históriae patrimônio. Editora Bookess - 2012
    2. Pesquisas Google:
    • Devoção e cura no conjunto religioso do Monte do Galo-Carnauba dos Dsntas-RN - Sylvana Maria Brandão de Aguiar e Edson de Araújo Nunes 

    • http://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/religare/article/view8232/4660

    FOTOS


    1. Imagens Google encontradas nos sites:
    • Rehttp://www.ferias.tur.br/informacoes/7153/carnauba-dos-dantas-rn.htmlad 
    • more:http://www,feraias.tur.br/informacoes/7153/carnauba-dos-dantas-rn.html#ixzz36RANrTT4
    • http://amigosdesantavitoria.blogspot.com.br/2011/01/santuario-monte-do-galo-um-lugar-cheio.html
    • http://carnaubafotos.blogspot.com.br/2013/10/encerramento-da-festa-de-nossa-senhora.html
    • http://www.panoramio.com/photo/54604555 wilson Alcaras
    • http://www.panoramio.com/photo/37782440 fotos panoramio - Walter Fernandes Leite
    • http://www.panoramio.com/photo/37783136-Walter Fernandes Leite
    • http://www.carnaubadosdantas.rn.gov.br/turismo
    • http://professormarcianodantas.blogspot.com.br/2011/07/conheca-carnauba-dos-dantas.html
    • http://exploradordosertao.blogspot.com.br/2011/06/expedicao-ao-sitio-arqueologico-casa.html 
    • http://www.panoramio.com/photo/20575312mgalo elio rocha
    • http://www.panoramio.com/user/2169010/tags/Monte%20do%20Galo%20-%20RN 
    • http://www.panoramio.com/photo/22097869-Junio Juninho.
    • http://amigosdesantavitoria.blogspot.com.br/20/10/04/monte-do-galo-lugar-santo.html
    2 - Acervo do Vento Nordete

    3 - Edição de Fotos: Site Pic Monkey





    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...