FOTO DE CAPA

Foto de Capa
Barra de Punaú - por Arilza Soares

papjerimum.blogspot.com.br

SEJA BEM VINDO AO VENTO NORDESTE!

Seguidores

quinta-feira, 21 de abril de 2011

D.ANGELITA-UMA POTIGUAR ADMIRÁVEL






                                                                                   

                                                                                 


Aos 80 anos ela escreveu seu primeiro livro, intitulado "Brincando e falando sério" uma autobiografia onde faz um relato das suas experiências pessoais e dos costumes sociais da sua época.


                                                 



Agora aos 93 anos está autografando para amigos e familiares seu segundo livro.Nesse ela reúne mais de 600 ditos populares que ouviu ao longo de sua vida, recorda suas brincadeiras infantis, charadas, adivinhações além de dois contos que gostou de escrever."Explosão da Memória-Expressões, Ditos e Contos" é o resultado da memória esplêndida de D. Angelita.Com esse livro ela pretende deixar registrado para outras gerações um pouco da cultura de uma época esquecida e sufocada pelas brincadeiras tecnológicas que mais distanciam que aproximam as pessoas.





                                              



Dona Angelita é assim: uma mulher admirável! Desde cedo demonstrou interesse pelas letras,apesar de só ter feito o curso primário porque em Coqueiros, lugarejo pertencente ao Município de Ceará Mirim onde nasceu e se criou, o acesso à escola era muito difícil.Quando jovem para suprir essa deficiência do ensino,decidiu ser professora e  chegou a percorrer até  12Km a pé  para ir até a praia de Jacumã  dar aulas aos filhos dos pescadores.
Mais tarde, já casada,em meios a toda responsabilidade de cuidar das tarefas domésticas,encontrou tempo para alfabetizar em casa todos os seus 10 filhos.Sua maior alegria era ver todos lendo e escrevendo antes de entrar na escola,já que na  época o ingresso à escola em Natal se dava por volta dos sete anos.





                                                   


De gosto refinado, perfeccionista, habilidosa, exigente e com muito senso estético, D.Angelita chegava a perfeição em tudo que fazia principalmente se o assunto fosse cozinhar, fazer crochet, costurar, bordar à mão ou à maquina.Toda roupa dos filhos eram feitas por ela inclusive a criação dos modelos. 


                                                 



Acreditando em um futuro melhor,lutou incansavelmente quando atravessou dificuldades para cuidar da sua grande prole, depois que ficou viúva aos 49 anos. Hoje,com os filhos adultos e cercada dos netos e bisnetos essa guerreira não para! Antenada com tudo que acontece ao seu redor, participa e comenta  os acontecimentos da cidade,inclusive políticos.Continua administrar sua casa com a mesma garra e lucidez de sempre.Com  mãos habilidosas não deixou de fazer crochet seja um centro de mesa, pano de prato,uma bolsa ou mesmo uma blusa para uma neta.Isso quando não surpreende a todos com mais um livro para ser editado.

                                                


Parabéns D.Angelita! Pode ter certeza de que esses 93 anos de luta não foram em vão.Somos todos muito gratos pelas lições de caráter, de virtude e de amor que passou para cada um de nós. Tenha certeza também de que temos muito orgulho  do brilhante exemplo de vida que nos deu.


                                                  



segunda-feira, 18 de abril de 2011

CARNE DE SOL-PAIXÃO NORDESTINA



O Rio Grande do Norte sempre foi referência quando se fala em Carne de Sol, principalmente se essa carne tiver como origem a cidade de Caicó. Saborosa e de fácil preparo, a carne de sol é responsável pelos melhores pratos da nossa culinária! Tem-se notícias do consumo dessa carne desde 1610 pelos registros de viagem do navegador francês François Pyrard de Laval quando esteve na Bahia - "É impossível terem-se carnes mais gordas e tenras e de melhor sabor" 





Originalmente o preparo da carne do sertão, como também é conhecida, se dava logo após o gado ter sido abatido. Salgava-se a carne e colocava-se para secar diretamente ao sol - daí a origem do nome carne de sol. Hoje,apesar do nome, ela não fica exposta ao sol. Depois de cortada, é salgada com sal fino e deixada em locais cobertos e bem ventilados para maturação. A secagem é rápida, formando uma espécie de capa protetora que conserva a parte de dentro da carne deixando-a úmida e macia.






PREPARANDO A CARNE DE SOL EM CASA


1 - Você pode preparar a carne de sol em casa. Escolha a carne de sua preferência e corte em pedaços de aproximadamente 1 kg (quanto mais magra a carne e mais alto o seu corte, melhor). Passe sal fino de cozinha em toda a sua volta e coloque na geladeira em um recipiente aberto. Três vezes ao dia, por três dias, vire a carne e escoe o líquido. Agora é só assar. Não precisa lavar ou tirar o sal.




2 - Uma outra maneira de preparar a Carne de Sol em casa me foi dada pela minha colaboradora Marilda Nascimento. Há muito tempo morando em São Paulo, Marilda criou o hábito de fazer Carne de Sol em casa e garante que a sua carne  fica tão boa quanto a que comia no Nordeste.Vamos a receita: "Depos de escolher a carne, passe o sal fino em toda a sua extensão e pendure numa corda, em um lugar ventilado da sua área de serviço. O vento que ela tomará em dois dias será suficiente para ela ficar pronta. Durante esse processo, coloque uma vasilha embaixo da corda para recolher a salmoura que a carne vai soltando.Recomendo cuidado com a quantidade de sal". 




Em Natal a carne de sol é servida com os acompanhamentos: farofa d'água, arroz de leite, feijão verde, macaxeira frita ou cozida, salada (alface, tomate e cebola) e manteiga de garrafa. Esta combinação lhe dá um sabor inesquecível.





Irresistível é a combinação dessa carne, assada na brasa e servida com queijo de coalho. Experimente e bom apetite!






FONTES:
  •  Luís da Câmara Cascudo - História da Alimentação no Brasil-Editora Global / SP -  2011
  • Maria Marluce Gomes - História da gastronomia do RN -Natal- Abril de 2004
  • Culinária Nordestina- Encontro de Mar e Sertão - Publicação do SENAC´
  • Jornal Tribuna do Norte - Natal-RN
FOTOS:
  • Imagens Google
  • Edição de Fotos: programa Pic-Nic - Yahoo / BR
       

sábado, 16 de abril de 2011

PROFESSOR LAURO

       
"Fiz uma opção de vida: só permanecer na planície se minhas asas não tiverem forças para arrancar-me do chão;mesmo com asas curtas quero voar"
                                                   Lauro de Oliveira Lima

Vento Nordeste mudou de direção e hoje sopra lá do Ceará,para homenagear um educador brasileiro, que recentemente completou 90 anos - Professor Lauro.Não postarei nenhuma biografia,essa tão ricamente detalhada no blog " Escola de Pais" da sua filha Ana Elizabeth ( Bolg da  Beta ).Farei apenas uma homenagem a esse homem que foi sem dúvida, meu grande mentor intelectual.
Durante anos,dediquei parte dos meus estudos, lendo, assimilando e tentando por em prática seus ensinamentos. Ter trabalhado na Chave não foi uma mera conquista do acaso, mas uma busca minha, uma opção de vida.Foi o que restou de bom na educação desse país, tão devassada nos anos de ditadura e tão sucateada depois dela! Ter conhecido o Professor Lauro, ter participado da equipe pedagógica dessa escola só me enche de orgulho e a sensação de que fiz a melhor escolha.

Da obra do Mestre fundamental na minha formação








Pérolas do Mestre



" Educar já não é prever as necessidades da sociedade, mas preparar os jovens para o imprevisível"

" O professor não ensina, ajuda o aluno a aprender"

" A escola tem representado até aqui um complô contra a livre pesquisa intelectual, fornecendo fórmulas já acabadas que robotizam a solução dos problemas"

"Cada sociedade tem a moral que resulta do nível médio dos indivíduos que a compõe"

"Tudo está fluindo. O homem está em permanente reconstrução, por isso é livre.Liberdade é o direito de transformação"

O Mestre e a Aprendiz

Foto em minha casa no Reveillon de 2011 


Parabéns Professor Lauro! Que as próximas gerações possam continuar colhendo frutos das idéias inovadoras que o Sr. semeou ao longo desses anos.    




quarta-feira, 13 de abril de 2011

PAÇOCA DE BANANA VERDE



" Banana verde então
      cozida em pouco sal
                                 no coco era preparada no socado"
                                                           "pilão de mulungu" de Alínio Rosa                               
                                                                      
Não sei se gosto mais desse prato pelo sabor que ele tem  ou se pelas lembranças que ele me evoca. Sabor de infância  é isso! De preparo simples,não faltava em nossa mesa de café. Era uma comida artesanal, feita basicamente de banana verde e coco ralado socado no pilão. O ritual do preparo o tempo desfez. O velho pilão foi aposentado e com ele um pedaço da nossa cultura gastronômica foi se modificando ou deixado de lado. Pouca gente hoje em Natal conhece a paçoca de banana verde, mas o valor cultural desse prato precisa ser preservado.


RECEITA DE PAÇOCA DE BANANA VERDE



Ingredientes

                1 dúzia de banana anã (banana d'água) 
 1 coco ralado 
   1 pouco de sal


Modo de Preparo


Cozinhe as bananas com casca e um pouco de sal.Deixe esfriar retire a casca corte em pequenos pedaços.Acrescente  o coco ralado. Misture tudo dentro do pilão e soque o suficiente até formar uma massa consistente. Arrume a paçoca em um prato e deixe descansar um pouco.


           Pronto! Está pronta a paçoca. Agora é só saborear





               
Em outras regiões do Brasil encontramos uma versão doce para a nossa paçoca. É só acrescentar à massa um pouco de açúcar e uma colher de manteiga. 
Na falta de um pilão pode ser usado um moedor de carne ou até mesmo um garfo para amassar as bananas.


FONTE:

  • Receita de Dona Angelita -  Natal/RN
FOTOS:
  • Imagens Google
  • Edição de Fotos: Programa Pic-Nic - Yahoo/BR



segunda-feira, 11 de abril de 2011

PONTES SOBRE O RIO POTENGI



Sempre tive fascínio por pontes, em especial pela antiga ponte de Natal - a Ponte de Igapó. Atravessar aquela bela estrutura de ferro era emocionante e confesso que me dava medo.Trepidava demais ao passar, mesmo de carro. Mas valia a pena! Tudo era bonito ao redor: o rio, os manguesais, as salinas de Igapó... Lembro quando ela foi destivada e ao seu lado construida uma outra mais moderna, mais segura, mas muito sem graça! Felizmente não derrubaram a antiga. Foi parcialmente desmontada mas a maioria dos vãos continuam lá para alegria de quem ainda vê beleza naquela que foi durante anos um cartão postal da cidade. 







Construída em 1913 foi inaugurada em 20 de abril de 1916. Totalmente de ferro, só possuia duas vias em sentidos opostos, mais a linha férrea. Sua função era a de permitir a passagem dos trens da Estrada de Ferro Central, facilitando o transporte entre a Capital e o interior do Rio Grande do Norte. Hoje está desativada e permanece apenas com uma parte de sua estrutura inicial.





A cidade cresceu. Era preciso melhorar o acesso à Zona Norte e facilitar o fluxo de turistas no litoral. Esse sonho tornou-se possível com a construção de uma nova ponte sobre o Potengi. Moderna e muito bonita a ponte Newton Navarro tornou-se um ponto turístico da cidade. Seu nome homenageia o importante artista plástico potiguar, Newton Navarro, que tanto pintou e exultou as belezas do rio Potengi.







Inaugurada em novembro de 2007,  a Ponte de Todos Newton Navarro possui uma extensão de 1.781 metros, 55 metros de altura e 22 metros de largura. Trata-se não apenas da maior obra de infra estrutura viária do Nordeste, mas da maior ponte estaiada (erguida por estais,ou seja cabos de aço) em altura no Brasil.








A "Ponte de Todos" como também é conhecida (nome usado na propaganda do governo na época da construção da ponte - e que passou a se chamar oficialmente de  "Ponte de Todos-Newton Navarro) liga os litorais ao norte e sul de Natal e está proporcionando uma verdadeira revolução econômica no Estado, beneficiando a população de 16 municípios do litoral. 
Atravessar essa ponte é ver do alto cenários deslumbrantes das praias potiguares bem como o encontro das águas na foz do rio Potengi.


     Outras Imagens das Pontes sobre o Potengi

      
  1 - PONTE DE IGAPÓ















2 - PONTE NEWTON NAVARRO













 FONTES:


  • JORNAIS "TRIBUNA DO NORTE"  E "DIÁRIO DE NATAL" - NATAL/RN
FOTOS:
  • IMAGENS GOOGLE
  • ACERVO DO FOTÓGRAFO CANINDÉ SOARES
  • EDIÇÃO DE FOTOS: PROGRAMA PIC-NIC - YAHOO/BR



terça-feira, 5 de abril de 2011

CARANGUEJOS E GOIAMUNS -DELÍCIAS NORDESTINA!




Fonte de renda para alguns. Uma iguaria deliciosa para muitos outros que vivem ou visitam o Nordeste.
Acho que nunca aprendi a comer caranguejo direito! A parte do corpo muitas vezes deixo de lado. Um desperdício para quem aprecia essa iguaria. Gosto da pata grande, da patola como se diz em Natal. Aquela cheia de carne! Dá agua na boca só de pensar! Encontrado em todo o Nordeste duas, das suas  variadas espécieis, são mais consumidas: o Caranguejo Uçá e o Guaiamum ou goiamum como querem os potiguares.
Preparado em forma de petiscos variados, ou em pratos mais consistentes, o caranguejo é outro patrimônio da culinária nordestina. Basta experimentar o "Ensopadinho de Caranguejo" da praia de Tambaú em João Pessoa, o "Casquinho de Caranquejo" da praia do Cotovelo em Natal. a "Caranguejada" da Praia de Boa Viagem em Recife, a "Fritada de Caranguejo" na praia de Iracema em Fortaleza, o  "Catado de Caranguejo" em Salvador, para querer incluí-los  em seu cardápio de viagens. Ah! e os "guaiamuns no dendê"  de Valença na Bahia? Esses são imbatíveis!



INGREDIENTES
   1/2 quilo de carne de caranguejo 
    2 tomates,1 cebola, 1/2 pimentão
2 dentes de alho, coentro, sal.
1 copo de leite de coco natural
2 colheres de sopa de azeite  
 1 colher chá de amido de milho 
1 colher de sopa de margarina 
      1/2  xícara de farinha de mandioca 
       casquinhos de carangueijo vazios 


MODO DE FAZER

Frite os temperos no azeite até que comecem a dourar,junte a carne de caranguejo, o leite de coco e tempere com sal e pimenta. Deixe ferver 15 minutos. Dissolva o amido em um pouco de água,mexendo até ferver.Em uma frigideira doure a farinha na margarina.Encha os casquinhos do caranguejo e cubra com a farofa.






CARANGUEJADA


INGREDIENTES

.2 cordas de caranguejo (20 unidades)
1 molho de coentro
2 cebolas
2 tomates
1 caldo knorr de galinha
3 colheres de sopa de extrato de tomate
Sal a gosto


  MODO DE FAZER

LImpe todos os caranguejos em água corrente com uma escova, retirando toda lama.
Coloque todos em um caldeirão, junto com  os ingredientes e deixe ferver por uma hora e quinze minutos. Experimente para ver se está bom de sal.





Muito apreciado entre os Nordestinos, o caranguejo é um crustáceo que exige certa habilidade na hora de comê-lo. O modo mais prático é ir arrancando as patas, uma a uma, quebrando e retirando a carne. No final abre-se o corpo do caranguejo para comer a gordura que fica depositada no casco. Há quem, nessa hora coloque um pouco de farinha e pimenta.
 Na hora de servir é necessário que se tenha a mão uma tábua e um pedaço pequeno de madeira, para quebrar os caranguejos, ou se preferir use um desses kit para comer caranguejo que exite no comércio.



KIT CARANGUEJO


E enquanto você de delicia comendo caranguejo ouça a ótima interpretaçào de Gilberto Gil na regravação da música do   compositor Gordurinha - "Vendedor de caranguejo" - faixa do album duplo QUANTA de 1998.




FONTES:

  • Culinária Nordestina - Encontro de Mar e Sertão - Editora Senac Nacional
  • Receita de Rejane Tinoco - Natal/RN
FOTOS:
  • Imagens Google
  • Edição de Fotos: Programa Pic-Nic - Yahoo/BR
VÍDEO
  • Enviado ao You Tube por sterlingjazz em 29/12/2010



domingo, 3 de abril de 2011

ADEMILDE FONSECA - A RAINHA DO CHORINHO




Ela fez recentemente 90 anos e continua cantando! E que voz! A "Rainha do Chorinho" esteve presente na minha infância desde muito cedo. Meu pai ouvia muito rádio e ela estava lá cantando rápido, sem titubiar. Aquilo me encantava! Até hoje ouvir "Brasileirinho" "Delicado" "Flor Amorosa" "Tico-Tico no Fubá", me alegra a alma! Por isso a minha homenagem a quem considero a maior cantora potiguar de todos os tempos!




"Delicado"  ( Baião ) de Waldir Azevedo e Ari Vieira gravado  em 1951




"Rio Antigo ( Maxixe ) de Altamiro Carrilho 
Augusto Mesquita gravado em 1955


BIOGRAFIA



Nasceu em 04 de março de 1921 em Macaíba no RN. Foi para o Rio de Janeiro em 1941,acompanhando o marido músico. Trabalhou em rádio e participou de  programas de calouros. Começou a fazer sucesso com a música "Tico-tico no fubá" de Zequinha de Abreu. Consagrou-se como intérprete de choro quando gravou "Rato, Rato" de Claudino da Costa. Nos anos 60, fez apresentações em Paris, Lisboa e Nova York. Em 1967 participou do II Festival Internacional da Canção, interpretando "Fala baixinho" de Pixinguinha e Hermínio Bello de Carvalho. Voltou aos palcos em 1980, pelo projeto Pixingão na sala Funart. Em 1990 recebeu o Troféu Eletrobrás e o Troféu Elite por ter popularizado o choro cantado, numa época em que o chorinho era um gênero exclusivamente instrumental. Em 2001, grava com a filha Eimar clássicos do chorinho, o que lhe rendeu posteriormente a participação no projeto "Nas ondas do rádio."



Com a filha Eimar no projeto "Nas ondas do rádio"
cantando Tico-tico no fubá
de Zequinha de Abreu 


DISCOGRAFIA

Uma carreira de sucesso, com mais de 50 discos, alguns com mais de um millhão de cópias.Aqui, apenas uma mostra do seu trabalho.  









Quando completou 80 anos viajou para o lugar onde nasceu no Rio Grande do Norte e inaugurou uma praça com o seu nome.


Entrevista com Diego Luis no programa 
Mosaico pelo canal 16 da Net


Aos noventa anos, continua se apresentando e diz não querer se aposentar. Foi homenageada com o "I Prêmio Divas da Música Brasileira ".



                                   Entrevista de Ademilde Fonseca por ocasião do 
                                       I Prêmio Divas da Música Brasileira




MORRE AOS 91 ANOS A CANTORA ADEMILDE FONSECA,       
                                 A RAINHA DO CHORO







Morreu no final da noite de ontem (27) aos 91 anos, a cantora Ademilde Fonseca. Conhecida como  Rainha do Choro, ela trabalhou mais de uma década nas Rádios Nacional e Tupi. Ademilde sofreu um mal súbito em sua casa em Ipanema.O corpo será enterrado no cemitério São João Batista, em Botafogo. Ela deixa uma filha,a também cantora Eimar Fonseca, três netas e quatro bisnetos.
       (Notícia veiculada no Hot-Mail.com em 28/03/2012)





FONTES:
  • Jornal Diário de Natal ´Natal/RN
  • Jornal Tribuna do Norte
  • Pesquisas Google: wikipédia
  • A mulher Potiguar - Cinco Séculos de Presença -Fundação José Augusto -Natal /rn
Fotos: 
  • Imagens google
  • Edição de Fotos: programa Pic-Nic yahoo/BR
Vídeos: 
  • Do You Tube


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...