FOTO DE CAPA

Foto de Capa
Barra de Punaú - por Arilza Soares

papjerimum.blogspot.com.br

SEJA BEM VINDO AO VENTO NORDESTE!

Seguidores

terça-feira, 14 de maio de 2013

A PRAÇA PADRE JOÃO MARIA - TESTEMUNHA DA FÉ DO POVO POTIGUAR






Sempre que estou em Natal sinto uma vontade enorme de andar à toa pela cidade em  busca de  coisas e lugares que são referências do meu mundo e  com as quais me identifico culturalmente. O centro da cidade é um desses locais que adoro percorrer. Hoje me detive por algum tempo na Praça Padre João Maria e confesso que me deu uma certa tristeza de ver o estado de abandono e a descaracterização da mesma. O espírito religioso da praça já não é o mesmo. Uma feirinha decadente de artesanato, algumas mulheres vendendo frutas da região  (cajus, mangabas, mangas, pinhas entre outras) poucos transeuntes formavam o cenário da praça. Cadê os devotos, as velas acesas, as flores, as orações? Nada! Ao redor do Busto apenas algumas flores artificiais e marcas de cera que lembravam que ali, algum devoto esteve presente. Me entristeceu de verdade - gostava de ver aquela aglomeração de fiéis em volta daquele que durante toda minha vida conheci como o Santo de Natal.

  
SOBRE A PRAÇA PADRE JOÃO MARIA

                                     Praça Padre João Maria, Natal-RN, anos 1920.



O terreno onde hoje está localizada a praça Padre João Maria, por detrás da  antiga Igreja Matriz, consta no mapa da Cidade de Natal, elaborado no 3º quartel do século XIX sob a denominação de Praça da Matriz. Era ponto obrigatório de passagem das antigas procissões religiosas .Posteriormente o local passou a denominar-se praça da Alegria, por servir de palco às apresentações de grupos de artistas amadores, em teatrinhos improvisados. Grupos de políticos e intelectuais também ali se reuniam, no que era chamado "Cantão da Gameleira", para prosearem alegremente. Daí que a praça passou também a ser "um ponto de animação da cidade" 



                                                 Praça Padre João Maria, Natal-RN, anos 1940.


A praça da Alegria sobreviveu muitos anos até que, em 11 de Junho de 1905, pela Resolusão nº 105, o prefeito de Natal, o Intendente Joaquim Teixeira de Moura,estabeleceu que a Praça da Alegria a partir daquela data se denominaria Praça Padre João Maria, homenageando a pessoa daquele que é considerado o Santo Vigário de Natal.

Pedro Soares de Araújo Filho, funcionário do Tesouro do Estado, era um devoto do padre João Maria.Teve então a idéia de mandar construir na praça um monumento homenageando o sacerdote falecido. Juntou dinheiro e fez campanha. Vítima da gripe ou influenza, faleceu a 14 de Maio de 1918. Mas o governo do Estado e o clero completaram a obra.




Herma dem bronze do Padre João Maria - um trabalho de Hostílio Dantas



Em 7 de agosto de 1919 consolidava-se o desejo da população natalense, com a inauguração do busto  do Padre João Maria, na praça do mesmo nome. O referido monumento feito em bronze pelo escultor Hostílio Dantas ,   foi originalmente colocado sobre um soberbo pedestal de granito, com altura de 4 metros, feito por Miguel Micussi,. Posteriormente foi colocado um gradil de ferro, confeccionado pela professora Joana Bessa, circundando o busto. 



                        
O busto mudou de local algumas vezes dentro da mesma praça. Finalmente foi colocado em meio à gameleira e os pés de "fícus-benjamins" que davam grande sombra em toda a extensão da praça, atraindo pessoas a se  entarem nos bancos de madeira que existiam. tinha a frente  voltada para a Catedral, onde o Padre foi Vigário por trinta e três anos.



Com a presença do busto, os fiéis transformaram o local em foco de crendice popular, acendendo velas e depositando exvotos em pagamento de promessas. Além de fitas coloridas, palmas bentas e retratos de pessoas beneficiadas com os milagres conseguidos por intercessão do padre.








A praça Padre João Maria de então, era um recanto tranqüilo e sereno, bastante arborizado e cercado por várias e belas casas residenciais. Ao longo do tempo, a  praça foi se transformando até perder o belo casario do entorno e o seu frondoso jardim. 0 antigo Pedestal com o Busto do Padre João Maria foi substituído, aproximando mais o busto do Padre do povo, que até hoje procura o seu "santo", acendendo velas, pedindo graças, ou agradecendo as promessas atendidas. Porém, o espírito religioso da praça foi perdendo espaço para o profano e hoje, com a instalação de uma feira de artesanato, o local passou a ser mais freqüentado por turistas, em detrimento dos antigos e fiéis devotos do santo.






Em recente restauração empreendida, pela Prefeitura Municipal de Natal, a praça perdeu a sombra de suas frondosas árvores. Foram elas todas cortadas e substituídas por canteiros acanhados, com vegetação de pequeno porte.




CURIOSIDADES À RESPEITO DA PRAÇA

Quem vê a praça Padre João Maria hoje, nem de longe imagina importância desse logradouro, na vida cultural e religiosa da cidade tempos atrás.Um local com muitas histórias A Praça Padre João Maria, ao longo do tempo, deu origem a registros  históricos e lembranças de fatos curiosos nela ocorridos, que são relembrados ou na própria tradição popular, ou em livros e pela imprensa escrita. Dentre muitos outros, mencionam aqui os seguintes:



Quando a praça era totalmente arborizada com "fícus-benjamins" foliões de alguns grupos carnavalescos, para dormirem um pouco antes de chegar à hora das batalhas de confetes e dos desfiles, armavam redes nos galhos das árvores e gozavam de uma boa sesta, sem nenhuma preocupação com roubos, ainda não existentes ali.
A 07 de setembro de 1908, foi inaugurado o serviço de bondes (puxados a burro) em Natal. Os meninos gostavam de passear neles. Não pagavam. Aproximando-se o fim da linha, que era a Praça Padre João Maria, desciam, dizendo: "não quero mais não... Mas corriam de imediato para a praça, onde começavam a imitar Tarzan, pulando de galho em galho nas árvores.





Os adolescentes estudantes "se revezavam junto ao busto do Santo Padre, desmanchando-se em  promessas em vésperas de prova escolar", segundo conta Procópio Júnior em artigo no jornal "O Potiguar". Em dias da Semana Santa, jornalistas se debruçavam das janelas do prédio nº 58, onde ficava a redação do "Correio do Povo", para verem a saída dos "irmãos dos Passos", todos trajados com suas opas roxas, desfilando para comparecerem à "Procissão do Encontro", num clima de unção religiosa.
Mas a noite na praça trazia para ali personagens irreverentes. A altas horas, com o frio da madrugada, atores que haviam saído de uma jornada de ensaios no Teatro Alberto Maranhão, chegavam ao busto do padre João Maria e não resistiam: desviavam para o próprio acervo ex-votos artísticos.


FONTES:

  • Jeanne Nesi - Caminhos de Natal - Praça Padre João Maria - Natal / RN
  • Itamar de Sousa - In DN Educação - Projeto Ler - Diário de Natal b_ fascículo Nº2 - Natal/RN
  • Pesquisas Google - Sites:
  1. http://tribunadonorte.com.br/notícia/saudosismo-nas-redes/213410
  2. http://pt.wikipedia.org/?wiki/jo%C3%A3o_Maria_Cavalcant_de_Brito
  3. http://blogdetetelescope.blogspot.com.br/2011/08/praca-padre-joao-maria-natal-rn.htrm
  4. http://www.dei.rn.gov.vbr/contentproducao/aplicacao/dei/arquivos/nosdorn/nos1105.pdf

Fotos

  • Acervo de Eduardo Alexandre Garcia
  • Imagens Google
  • Acervo do Vento Nordeste

Um comentário:


  1. Meu Deus !! Já pedi tanto a intercessão de Pe João Maria!!!
    Marilda Nascimento

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...