FOTO DE CAPA

Foto de Capa
Barra de Punaú - por Arilza Soares

papjerimum.blogspot.com.br

SEJA BEM VINDO AO VENTO NORDESTE!

Seguidores

terça-feira, 20 de agosto de 2013

OBA!! VAMOS BRINCAR DE QUE: PERNAS DE PAU? - PÉS DE LATA? - PÉS DE QUENGA?





      - Hoje tem espetáculo?- Tem, sim sinhô!  
     - Às oito horas da noite? - É sim senhor.!
- Arrocha negrada! ...


Era assim, na minha infância,  que se anunciava a chegada de um circo na cidade. Quem fazia a divulgação do espetáculo era um palhaço, que em cima de uma "perna de pau"  percorrendo as ruas dos bairros com um megafone na mão anunciando a boa nova. É lógico que o circo era  a atração maior, mas a garotada da rua vibrava com os malabarismos que o palhaço fazia montado naquelas pernas. No dia seguinte não dava outra! Os meninos iam todos pra rua, munidos com "pernas de pau" improvisadas, feitas com cabos de vassoura, prontos para uma maratona de competições. O circo ficava pra trás, ou para quem tinha dinheiro para comprar o ingresso...



ORIGEM DA PERNA DE PAU


      Detalhe da Pintura  "O Velho"  
    de Pieter Bruegel (1560)



A origem das "pernas de pau" é remota. Povos antigos, de várias partes do mundo já as usavas, na maioria das vezes como instrumento de trabalho. 
Na França os pastores delas se utilizavam para   terem uma visão melhor do seu rebanho, para atravessar terrenos alagadiços ou mesmo para colher frutos em árvores altas. Durante os festejos, nas danças, desfiles ou nos combates era comum os participantes usarem as pernas de pau.Na Espanha, até o final do século passado eram realizadas "corridas" nas quais as pessoas enfrentavam touros usando perna de pau. Na África, os pernas de pau representavam divindades em cerimônias tribal e  ritos de iniciação.
Embora sejam hoje mais conhecidas como divertimento, usadas por crianças e adultos, em todas as partes do mundo, as pernas de pau tornaram-se populares graças sobretudo a sua grande utilidade como instrumento de trabalho nas festas populares, no carnaval, no mundo circense.



BRINCANDO COM PERNAS DE PAU

1 - COMO FAZER 



                                                   VÍDEO: OFICINA DE CASA



O vídeo acima ensina a fazer a perna de pau de um jeito mais profissional. Mas pode-se fazer de forma mais simples, usando duas ripas de madeira ou dois cabos de vassoura. É só pregar em cada um um pequeno taco, em altura igual, que sirva de apoio para o pé. 



                     http://pt.wikihow.com/Fazer-Pernas-de-Pau-para-Iniciantes


O Site Wikihow dá as dicas, passo a passo, de como fazer pernas de pau para iniciantes.Clique no link acima e acesse o Site para ver as dicas completas, criadas por "Traduções WikiHow".



2 - COMO BRINCAR





No início é aconselhável ficar marchando no mesmo lugar, por um tempo, até adquirir equilíbrio. Uma dica importante: a madeira deve ficar bem junto á perna, para evitar quedas. Em caso de desequilíbrio, deve-se cair para frente, usando as mãos para amortecer a queda. Quando conseguir o equilíbrio sobre as pernas tente andar para frente, de ré e até pulando numa perna só. Uma vez craque, dominando por completo o aparelho, desafie amigos para uma corrida.




BRINCANDO COM PÉS DE LATA






Andar se equibrando em latas de leite, era comum entre os meninos em Natal, na década 50. A brincadeira veio junto com a popularização do leite em pó, quando as latas vazias passaram a ser disputadas entre as crianças. Antes, o consumo do leite era mais  "in natura" vendido em garrafas, pelo menos nos bairros periféricos da cidade.





1 - COMO FAZER





Você vai precisar de:
  1. Duas latas vazias de leite em pó ou achocolatado
  2. 1,5m de fio corda (de náilon ou sisal) ou  barbante.
  3. Tinta ou retalhos de plástico par decorar
  4. Martelo e um prego grande para furar a lata
  5. Cola e tesoura

Faça dois furos diametralmente opostos no fundo de uma lata de achocolatado ou leite em pó.
Passe a corda pelos furos da lata e una as extremidades com um nó bem forte dentro do recipiente.
Coloque a tampa e decore com retalhos de plástico adesivo ou tinta. Faça o mesmo com outra lata.



2 - COMO BRINCAR






A criança sobe na lata e tenta se equilibrar segurando nas cordas. Treinar bastante esse equilíbrio, andando de um lado paran o outro até sentir segurança. Depois é só brincar apostando uma corrida com um amigo. Iniciar a brincadeira com uma corrida simples e depois complexificá-la traçando um percurso com obstáculos.



BRINCANDO COM PÉS DE QUENGA




Entre outras brincadeiras de rua, andar de   "pé de quenga" era uma das mais populares entre a meninada do meu bairro. Entenda-se por "quenga"  uma das bandas do coco seco, quando esse é quebrado ao meio.





  BRINCANDO COM PÉS DE QUENGA
  
1 - COMO FAZER




A brincadeira assemelha-se com a de "andar de pé lata, não só na maneira de brincar, como de a de construir o brinquedo. Para isso limpam-se duas quengas, e com um prego furam-se  a parte superior das mesmas. Depois é só colocar um barbante resistente, ou corda fina de sisal e dá num nó bem forte.


2 - COMO BRINCAR

Pé de quenga ou Pé de avalo


Para usar, coloca-se a parte aberta voltada para o chão, estica-se bem a corda até a altura das mãos, e calça-se como se fossem "chinelos de dedos". Agora é só caminhar.
Em alguns lugares do Nordeste, a brincadeIra recebe o nome de "pé de cavalo" por causa do som que o brinquedo faz quando bate no chão duro.



FONTES:

  • Pesquisas Google:
  1. http://wwwluizalberto.com/enxugando gelo-jose-de-oliveira-ramos/perna-de-pau-e-pe-de-quenga
  2. http://territóriodobrincar.com.br/brinquedos-e-brincadeiras/pe-de-cavalo-de-quenga
  3. http://www.casadobrincar.com.br/site/fui-eu-que-fiz-pes-de-lata/
  4. http://pt.wikihow.com/Fazert-Pernas-de-Pau-para-Iniciantes
  5. http://pt.wikipedia.org/wiki/Perna_de_pau
  • Depoimentos de Lourdes Estevão - Da Gramame na Paraíba.
FOTOS:

  • Imagens disponíveis no Google
  • Acervo do Site Terrítório do Brincar - Brinquedos e Bincadeiras 
  • Ficheiro do Wikipedia


EDIÇÃO DE FOTOS:
  •  Site Pic Monkey

VÍDEO:

  • Publicado no You Tube por Oficina de Casa em 18/05/20





sexta-feira, 16 de agosto de 2013

A FALA DO POVO NORDESTINO - DE ONDE VEM AS NOSSAS EXPRESSÕES POPULARES?







Terminei de ler o livro "locuções tradicionais do Brasil" de Câmara Cascudo onde ele fala da origem das nossas expressões populares. O tema sempre me interessou. Sempre tive curiosidade de saber como a fala do nossso povo foi se formando ao longo da sua história. Muitas expressões são usadas no Brasil inteiro, e como são muitas, selecionei  para postar algumas que me são mais familiares, que ouvi mais enquantgo vivi no Nordeste e que por isso mesmo, até hoje, faz parte do meu vocabulário.




ORIGEM DAS EXPRESSÕES


1 - BEBEU ÁGUA DE CHOCALHO





O Nordeste de antigamente, tinha por tradição dar água de chocalho para as crianças que demovaravam a falar.
Pereira da Costa, em 1908 escrevia: "Para  falar depressa, dá-se-lhe a beber das primeiras águas de janeiro, e não se deve absolutamente mostrá-la ao espelho, porque isso faz retardar-lhe a fala". Mais na frente continua ...dar-se-lhe água de chocalho, que com isso não só se consegue começar imediatamente a desenvolver essa faculdade, como ainda as crianças torna-se-ão verbosas e loquazes."
Daí se dizer de uma criança tagarela, que fala pelos cotovelos, que "bebeu água de cocalho".



2- CASA DA MÃE JOANA




Diz-se que um lugar é a Casa da Mãe Joana quando não há ordem, imperando a bagunça, onde todo mundo fala e faz o que quer, sem prestar satisfação a niniguém.
Este dito popular tem origem na Itália, do Reino de Nápoles, no século XIV, quando a rainha (e condessa de Provence) Joana assinou um decreto real liberando os bordeis na cidade de Avignon, na frança, onde estava refugiada. E mais: determinou que em cada um deles houvesse uma porta por onde todos pudessem entrar e sair ao bel prazer.



3 - DEIXAR DE NHENHENHÉM






A expressão tem o sentido de uma conversa interminável em tom de lamúria, irritante, monótona. Resmungo.
O vocábulo Nheë, em tupi, quer dizer falar. Quando os portugueses chegaram ao Brasil, eles não entendiam aquela falação estranha e diziam que os portugueses ficavam a dizer “nhen-nhen-nhen”



4 - NÃO ENTENDO  PATAVINA






Isso significa que a pessoa não sabe nada sobre determinado assunto. Nada mesmo.
Tito Lívio, natural de Patavium (hoje Pádova, na Itália), usava um latim horroroso, originário de sua região. Nem todos entendiam. Daí surgiu o Patavinismo, que originariamente significava não entender Tito Lívio, não entender patavina.


5 - COMER COM OS OLHOS



Soberanos da África Ocidental não consentiam testemunhas às suas refeições. Comiam sozinhos. Na Roma Antiga, uma cerimônia religiosa fúnebre consistia num banquete oferecido aos deuses em que ninguém tocava na comida. Apenas olhavam, “comendo com os olhos”. A propósito, o pesquisador Câmara Cascudo diz que certos olhares absorvem a substância vital dos alimentos. Hoje o ditado significa apreciar de longe, sem tocar.


6 - SANTINHA  DO PAU OCO





Essa expressão se refere à pessoa que se faz de boazinha, mas não é. Nos séculos XVIII  e XIX os contrabandistas de ouro, moedasd e pedras preciosas utilizavam esdtátuasd de santos ocas por dentro. O santo era "recheado" com preciosidades roubadas e enviado para Portugal.



7 - PAGAR O PATO




A expressão deriva de um antigo jogo praticado em Portugal. Amarrava-se  um pato a um poste eo jogador, em um cavalo, deveria passar rapidamente e arrancá-lo de uma só vez do poste. Quem perdia  era quem pagava pelo animal sacrificado. Sendo assim, passou-se a empregar a expressão para representar situações nonde se paga por algo sem ter qualquer benefício em troca.




8 - ANDAR À TOA






Toa vem do inglês "tow" que é a corda usada por um barco para rebocar outro maior. Um navio que está “à toa” é o que não tem leme nem rumo, indo para onde o navio que o reboca determinar. à toa é algo feito sem esforço, sem importância.




9 - SUJEITO DA PÁ VIRADA




Um sujeito da pá virada pode tanto ser um aventureiro corajoso como um vadio.
A origem da expressão está na relação ao instrumento, a pá. Quando ela está virada para baixo, é inútil não serve para nada. Hoje em dia diz-se que uma pessoa é "da pá virada" quando tem maus instintos, é criadora de casos, ou aventureira.


10 - ISSO SÃO FAVAS CONTADAS





De acordo com o pesquisador Câmara Cascudo, antigamente, votavam-se com as favas brancas e pretas, significando sim ou não. Cada votante colocava o voto, ou seja, a fava, na urna. Depois vinha a apuração pela contagem dos grãos, sendo que quem tivesse o maior número de favas brancas estaria eleito. Atualmente, significa coisa certa, negócio seguro.



11 - VIU PASSARINHO VERDE?






Significa estar apaixonado. O passarinho em questão é uma espécie de periquito verde. Conta uma lenda que alguns românticos rapazes do século passado adestravam o bichinho para que ele levasse no bico uma carta de amor para a namorada. Assim, o casal de apaixonados tinha grandes chances de burlar a vigilância de um paizão ranzinza.



12 - À TOQUE DE CAIXA






A caixa é o corpo oco do tambor que foi levado para a Europa pelos mulçumanos. Como os exercícios militares eram acompanhados pelo som de tambores, dizia-se que os soldados marchavam "à toque de caixa".
Foi tradição portuguesa, em uma determinada época, escorraçar os indesejáveis de um local, como bêbados, indolentes, larápios, barulhentos  à toque de caixa.
No Brasil a expressão refere-se a uma tarefa que se tem que fazer rapidamente, sem muito capricho ou responsabilidade.


13 - MARIA VAI COM AS OUTRAS






Dona Maria I, mãe de D. João VI (avó de D. Pedro I e bisavó de D. Pedro II), enlouqueceu de um dia para o outro . Declarada incapaz de governar, foi afastada do trono. Passou a viver recolhida e só era vista quando saía para caminhar a pé, escoltada por numerosas damas de companhia. Quando o povo via a rainha levada pelas damas nesse cortejo, costumava comentar: “Lá vai D. Maria com as outras”. Atualmente aplica-se a expressão a uma pessoa que não tem opinião e se deixa convencer com a maior facilidade.



14 - COMPRAR GATO POR LEBRE




A frase é comum no Brasil e foi trazida pelos portugueses. Para Cãmara Cascudo é "o engano na sua substituição dolosa". Em Coimbra do século XIX, foi famosa a caçada aos gatos para fins culinários. Outrora, durante os cercos militares  às grandes cidades. o de Paris em1871, o gato era comida refinada. O caminho de perigrinação à Santiago de Compostela, conhecido como "caminho frâncês" tinha fama de vender gato por lebre: "em caminho francês / Dão gato por lebre ao freguês".
            


15 - SEM EIRA NEM BEIRA



Eira é um terreno de terra batida ou de cimento onde se estendem os grãos do centeio, do trigo, do milho que ficam ao ar livre para arejar, debulhar, malhar e limpar. Beira é a beirada da eira. Quando uma eira não tem beira, o vento leva os grãos e o agricultor fica sem nada.
Nas aldeias portuguesas não ter eira é não ter posse em parte alguma no plano rural. " Sem eira nem beira" é o pobre miserável!



FONTE: 
  • Locuções Tradicionais do Brasil - Luís da Câmara Cascudo - São Paulo - Editora Global / 2004.
FOTOS:
  • Imagens Google
  • Edição de Fotos: Site Pic monkey


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...