FOTO DE CAPA

Foto de Capa
Barra de Punaú - por Arilza Soares

papjerimum.blogspot.com.br

SEJA BEM VINDO AO VENTO NORDESTE!

Seguidores

terça-feira, 18 de junho de 2013

A ARTE DE LUZIA DANTAS - UMA DAS MAIS IMPORTANTES ARTESÃS DO NORDESTE BRASILHEIRO







No ano passado ganhei de uma grande amiga, uma imagem de Santana feita por Luzia Dantas. Não sei que outro presente poderia me deixar mais feliz! Sempre fui apaixonada pelos trabalhos de Luzia. Suas figuras são ricas em detalhes e o movimento que ela imprime em suas peças é perfeito. Mas, o que mais me impressionou na Santana que Mariazinha me presenteou foi que, mesmo depois de ter sofrido mais de um acidente vascular, Luzia ainda consegue fazer, de cada peça sua uma obra de arte, tal minuciosidade de detalhes gravados na madeiracom muito esmero e requinte, coisas que só uma grande artista é capaz se fazer.



Eis a minha Santana





A seridoense Luzia Dantas é a santeira mais importante do Rio Grande do Norte. Desde criança dedica-se a produzir obras que retratam tipos populares e a vida dos nordestinos: casas de farinha, vaquejadas, carros de boi, retirantes. No entanto foi fazendo santos que se tornou famosa. Suas peças de Arte Sacra como a Santana, Santa  Luzia, Nossa Senhora da Conceição e São Francisco são consideradas obras primas.






Luzia faz suas esculturas com a madeira da umburana, pequena árvore da caatinga e usa como instrumentos de trabalho: canivete, sovela, escopo, serrote, lixa, faca e facão.
Suas esculturas em estilo barroco impressiona pela riqueza de detalhes sempre minuciosos, delicados  e muito bem acabados - perfeitos! Em cada peça por ela produzida observa-se a habilidade da artesã, nessa arte de esculpir em madeira.




 





Luzia Dantas nasceu em Rio da Cachoeira, município de São Vicente, região do Seridó, Rio Grande do Norte,  em 27 de fevereiro de 1937. Morando numa fazenda, alguns quilômetros distantes da pequena cidade de São Vicente, Luzia não sofreu influência de qualquer outro artista popular. Começou a talhar na madeira o que gostava desde criança. E quando recebeu sua primeira encomenda não parou mais. Mudou-se, ainda menina, para Currais Novos, onde mora até hoje.








Luzia sobrevive da sua arte. À medida que os anos passam, mais chegam encomendas a seu modesto atelier, a ponto de Luzia precisar estabelecer prazos para atender os clientes de todo mundo. Já não dá conta de quantas peças já fez, nem para onde foram levada. Sabe apenas, que estão espalhadas em várias cidades do Brasil, dos Estados Unidos e em alguns países Europeus.
Na Capela do Marco de Touros no Rio Grande do Norte , se encontra a maior escultura que já fez: uma Nossa Senhora dos Navegantes de 1.10m, encomendada pelo professor  Oswaldo de Souza.




VAQUEJADA


OS RETIRANTES




O CASAMENTO





LUZIA DANTAS POR ELA MESMA




"Aqui em Currais Novos fui a primeira a fazer essas coisas, Uma vez, faz muito tempo, vi uma peça do Chico Santeiro, que já faleceu, Minha irmã Ana Dantas, que também já se foi, fazia esse trabalho em madeira. Mas fui a primeira. Minha mãe fazia bonecos ded casca de melancia pra gente brincar. Eu comecei a fazer bonecas de madeira, Logo os vizinhos encomendavam para os filhos deles e a coisa foi aumentando. Eu pegava pedaços de lenha de imburana e fazia meus bichos. Eu assistia a vaquejada, as corridas de boi e cavalo e corria para casa e fazia o que via. E assim foi. As pessoas pediam e eu fazia. Sei que a arrte da madeira não é todo mundo que tem, A talha (ou entalhe) é mais fácil, mas fazer a figura inteira é difícil."







"Eu gosto de fazer as coisas bem detalhadas. Acho que coloco nas peças as feições que me são familiares. Faço cada parte e depois monto com cola branca. Cada um tem um rosto. Ás vezes a pessoa traz uma foto para eu  me inspirar pro rosto do santo encomendado e às vezes a  foto é feia. Quando eu faço meu rosto, deixo todos bonitos."




 LUZIA DANTAS  PELOS APRECIADORES DA SUA ARTE






" há um halo visível nos santos de madeira que ela constroi com a delicadeza de suas mãos, com  a pureza de sua alma.Luzia Dantas é a mais inspirada  artesã do Rio Grande do Norte, se não do país." Luiz Carlos Guimarães - poeta seridoense.








" quando alude sobre temas do cotidiano, como vaquejadas, casas de farinha, retirantes, seu estilo é fundamentalmente realista. Contudo quando trabalha a madeira, em função das imagens sacras, seu estilo é fundamentalmente barroco" - Antônio Marques - Professor de História da Arte da UFRN.








" À maneira de alguns grandes mestres ( que ela jamais conheceu) costuma colocar nos santos que esculpe o rosto de parentes, amigos, visinhos." Iaperi Araújo - Artista Plástico e Crítico de Arte.







O RECONHECIMENTO OFICIAL DO TALENTO DE LUZIA DANTAS








Em 2012, Luzia Dantas, que figura no catálogo  brasileiro de artesãos,  foi homenageada na 17ª edição de Fiart. Aos 75 anos, a artesã comemorou a presença em cada uma das edições da Fiart desde a primeira. "Perdi apenas uma por problema de saúde, mas acompanhei todo evento", afirmou Luzia.
Na foto, a artesã recebeu das mãos da governadora Rosalba Ciarlini uma obra do mestre Edvaldo Santiago que retrarta o ofício exercido pelos expositores presentes no evento.


ENDEREÇO DO ATELIER DE LUZIA DANTAS




Rua Dona Germana, 72 – Centro
59380-000 Currais Novos, RN
(84) 3412-1126




FONTES:

  • A Mulher Potiguar - Cinco Séculos de Presença - Fundação José Augusto - Governo do Estado do Rio Grande do Norte - Governador - Garibaldi Alves Filho
  • Pesquisas Google - Sites:
  1. http://artesanatopotiguar.com.br
  2. http://tribunadonorte.com.br/print.php?not_is=238788
  3. http://www.onordeste.com/enciclopediaNordeste/index.php?titulo=Luzia+Dantas&ltr=i&id_perso=1282
  4. ttp://marcosdantas.com/blog/artesa-de-currais-novos-homenageada-na 17a-edicao-da-fiart

FOTOS:

  • Acervo do Fotógrafo Potiguar Alex Gurgel
  • Acervo do Vento Nordeste
  • Imagens disponíveis no Google
  • Edição de Fotos:ite PicMonkey



quarta-feira, 12 de junho de 2013

SIMPATIAS PARA ARRANJAR UM CASAMENTO? ISSO É LÁ COM SANTO ANTÔNIO!






Mês de Junho - o  Brasil fica mais festivo - o Nordeste mais ainda! O Ciclo Junino que se inicia oficialmente no dia 13  referenciando Santo Antônio, se estende  até o dia  29 homenageando São Pedro, tendo antes comemorado o Dia de São João, no dia 24. Dessa trilogia é  o pobre do Santo Antônio é o que mais padece. Considerado santo casamenteiro, padroeiro dos namorados, a ele são dedicadas a maioria das simpatias realizadas nesse mês. Sua imagem muitas vezes é amarrada, colocada de cabeça para baixo, dentro copo com água,  em geladeiras e até em  frigorífico. Tudo isso pra arranjar marido para solteironas em busca de um casamento.




Ciipe da música Isso é lá com Santo Antônio -
 Programa Xuxa no Mundo da Imaginação da Rede Globo

A fama de casamenteiro de Santo Antônio é antiga. Segundo reza a lenda, duas moças não tinham dinheiro para o dote, portanto não poderiam casar. Santo Antônio com pena das donzelas, jogou um saquinho de moedas pela chaminé da casa onde moravam as duas moças desamparadas. Esse caso teria dado origem a sua fama de ajudar as moças a encontrarem marido.







As simpatias eram brincadeiras levadas a sério. Os tempos mudaram e com ele muito dessas tradições deixaram de existir, principalmente nas cidades grandes. No entanto, elas fazem parte do imaginário popular, são  parte importante do nosso folclore e viraram brincadeiras  tradicionais nas festas juninas. Ainda é possível encontrar alguém fazendo uma simpatia  pelo interior do Nordeste, seja por fé em Santo Antônio ou por mero entretenimento.







E agora você não casa ou vive bem com seu amado se não quiser! Simpatias não faltam: tem simpatia para arranjar namorado, para ser feliz com o namorado, para saber o nome do futuro marido, para saber se o casamento está próximo,  para saber se vai casar com um jovem ou com um velho, para casar com o namorado, para conseguir um casamento, para ser pedida em casamento, para ter o amado de volta e até para se reconciliar com o marido - é só falar com Santo Antônio!



I - SIMPATIAS PARA ARRANJAR NAMORADO

 




1 - Comprar uma pequena imagem de Santo Antônio. Virar o Santo Antônio de cabeça pra baixo, dentro de um copo com água, dizendo que ele só  ficará de pé quando tiver arranjado namorado. Uma outra forma é colocar a imagem noa geladeira. Fale pro Santo que se o namorado demorar a aparecer, ele será colocado no congelador. Só retirar o Santo quando seu amor bater à sua porta.








2 -  Logo na manhã do dia 12 de Junho, véspera de Santo Antônio, compre um metro de fita azul, e escreva nela o nome completo da pessoa amada. Guarde a fita junto do seu coração. À noite, conte 7 estrelas no céu, e enquanto conta faça um pedido ao santo, para que ele ajude você a conquistar o coração do amado. No dia seguinte, amarre a fita nos pés da imagem de Santo Antônio e deixe lá, até conseguir conquistar seu amado ou namorar outra pessoa do seu agrado.







3 - Para essa simpatia você vai precisar de: 3 penas de passarinho, 3  pétálas de rosas de qualquer cor, 1 medalha de Santo Antônio. No dia de Santo Antônio, embrulhe tudo num paninho branco e coloque no bolso, levando-o pra onde você for. Sempre que trocar de roupa não esqueça de colocar novamente o embrulinho no bolso. Faça isso por 10 dias e depois jogue num gramado, as penas e as pétalas, mas conserve a medalha em algum lugar entre suas coisas.Com certeza Santo Antônio vai recompensar seu esforço e vai lhe ajudar a encontrar seu amado.


  



4 - Pegue sete rosas e coloque-as em um vaso bem bonito. Enquanto faz isso reze pra Santo Antônio. Depois que elas secarem, leve as pétalas até uma igreja onde aconteçam muitos casamentos.



II - SIMPATIAS PARA SER FELIZ COM 
O NAMORADO





1 - Colocar um quartzo rosa dentro de um copo transparente, com água filtrada e deixar no sereno. Na véspera de Santo Antônio, peça tudo o que deseja para ser feliz com seu namorado: harmonia, companheirismo, cumplicidade, carinho, compreensão... No dia seguinte passar a água que estava no copo, nos joelhos (para ter flexibilidade e respeitar o outro), no coração  (para amar com sinceridade).





2 - No dia se Santo Antônio, olhe para no céu e escolha uma estrela. Fixe nela seu olhar e faça seu pedido com fervor. Depois abra os braços ao universo e agradeça o amor que tem.





3 -  Pegue um ramo de manjericão. Na véspera de Santo Antônio, faça um chá com uma parte do ramo e tome-o antes de dormir. O outro pedaço deve ser colocado num copo com água e posto na janela do seu quarto. Antes de adormecer reze para Santo Antônio mostrar, em sonho, o seu príncipe encantado pegando o copo de manjericão da janela.







4 - No dia de Santo Antônio, retire três espinhos de uma rosa vermelha e coloque dentro de um perfume que você usa e que a pessoa gosta. Peça para Santo Antônio remover os obstáculos " se for para a felicidade de ambos". Use o perfume sempre que estiver com seu amado.




III - SIMPATIAS PARA SABER O NOME DO FUTURO MARIDO





1 - No dia de Santo Antônio, em uma festa junina, coloque água na boca e comece a rodar em volta da fogueira, pedindo a Santo Antônio para lhe dizer o nome do seu futuro marido. Continue rodando em torno da fogueira. O primeiro nome que ouvir alguém chamar será o nome do seu marido.







2 -  Uma das mais antigas, para saber o nome do futuro marido, manda o seguinte: recorte vários pedacinhos de papel branco e escreva o nome de seus pretendentes - um em cada papelote. Um dos papéis deve ficar em branco. À meia-noite do dia de Santo Antônio, eles devem ser colocados numa bacia com água, que deverá passar a madrugada ao relento. No dia seguinte o que estiver mais aberto  indicará o escolhido. Se o que estiver mais aberto for o que estava em branco indicará que você ficará solteirona.


IV - SIMPATIAS PARA SABER SE O CASAMENTO ESTÁ PRÓXIMO





1 - Para descobrir se falta muitos anos para casar, no dia 12 de Junho à meia-noite faça o seguintr: amarre uma aliança numa linha ou fio bem fino. Coloque um copo sobre a mesa. O fio com a aliança funcionará como um pêndulo. Pergunte então a Santo Antônio quanto anos faltam para o seu casamento. O número de batidas da aliança no copo, informará quanto tempo você terá que  esperara para o casamento.






2 - Na véspera  de Santo Antônio, à meia-noite, quebre um ovo dentro de um recipiente  com água e coloque-o no sereno. No dia seguinte veja a imagem que se formou: se aparecer alguma coisa semelhante a uma grinalda, um vestido de noiva, ou mesmo um par de alianças, o casamento está próximo.








3 - À meia-noite do dia de Santo Antônio, quebre um ovo galado, num  copo, branco e transparente, com água, Cuidado para não arrebentar a gema. Deixe ao relento durante toda noite. No dia seguinte, antes do sol nascer pegue o copo e observe: se estiver coberto por uma névoa branca, você se casará antes do próximo dia de Santo Antônio.






4 - No dia 13 de Junho, dia de Santo Antônio, coloque duas agulhas iguaizinhas dentro de um prato com água, adocicada com duas colhers de açúcar.. No dia segunte veja como estão as agulhas: se estiverem juntas é porque o casamento estará próximo.





V - SIMPATIA PARA SABER SE O FUTURO MARIDO SERÁ JOVEM OU VELHO






1 - Arranje um ramo de pimenteira. Feche os olhos e ecolha uma das pimentas. Se a escolhida for uma pimenta verde, o marido será jovem. Se for a vermelha casará com  alguém de mais idade.


VI- SIMPATIAS PARA SE CASAR COM O 
NAMORADO





1- Amarre um fio do seu cabelo a um fio do cabelo do seu namorado. Esses dois fios amarrados devem ser colocados aos  pés do santo, para que ele possa ajudar e fazer a união.
2 - Para essa simpatia você vai precisar de um lenço seu e outro do seu namorado. Peça o lenço do seu namorado, mas antes limpe os lábios dele com o lenço. Depois guarde o lenço dele junto com o seu, atados por um nó bem forte,  entre seus objetos pessoais. Três dias depois, desfaça o nó e morda as quatro pontas do lenço dele. Devolva o lenço no primeiro encontro após ter feito isso. Pegue então, o seu lenço e leve até uma igreja, deixando-o aos pés de Santo Antônio.



VII - SIMPATIAS PRA CONSEGUIR UM CASAMENTO




1 - No dia 13 de Junho, plante um pé de cravo branco em um local ou vaso bem bonito. Faça desse plantio um momento de devoção à Santo Antônio. Cuide dele com carinho e quando começar a florir, pegue os cravos e leva numa igreja para Santo Antônio. O santo sabe ser grato e lhe ajudará a casar.






2 - Se quiser casar ou até mesmo apressar seu casamento faça o seguinte: separe um bolo pequeno, três velas com a figura de Santo Antônio e um vidrinho de essência de flor de laranjeira. No dia de Santo Antônio de manhã tome um "banho" com a essência de flor de laranjeira. Acenda as três de Santo Antônio. Corte o bolo e reserve  o primeiro pedaço. Em seguida distribua o bolo para três mulheres casadas. O primeiro pedaço deverá ser colocado na porta de uma igreja que realiza casamentos.


VIII - SIMPATIA PARA SER PEDIDA EM CASAMENTO






1 - Pegue uma fita vermelha e use-a no sutiã, entre os seios por 7 dias. Após esse prazo coloque-a dentro de um envelope, lacre-o e leve para seu colocado numa igreja no altar de Santo Antônio. Reze para que o santo atenda o seu pedido.


IX - SIMPATIA PARA O NAMORADO VOLTAR





1 - Amarre 7 fitas coloridas numa imagem de Santo Antônio e guarde-a de cabeça pra baixo no seu guarda-roupa. Prometa ao santo que quando reatá o namoro, ele será libertado. A simpatia deve ser feita no dia 13 de junho, dia de Santo Antõnio, e não na véspera.


X - SIMPATIA PARA A RECONCILIAÇÃO DO CASAL






1- Para isso basta um cravo e uma rosa. Amarre junto os dois talos das flores com uma fita verde. Dê 13 nós na fita. Enquanto estiver dando os nós pense em Santo Antônio e peça para unir o casal com amor.




FONTES:

  • Luís da Câmara Cascudo - Dicionário do Folclore Brasileiro - Ediouro Publicações S.A. - São Paulo
  • Pesquisas Google - Sites:
  1. http://www.astrologosastrologia.com.pt/simpatias_amor_santoAntonio.htm
  2. http://www.rosamarc.com.br/santonio/simpatia.htm

FOTOS:
  • Imagens Google
  • Edição de Fotos: Site Pic Monkey

VÍDEO: DO YOU TUBE

Música: Isso é lá com Santo Antônio - Lamartine Babo - Publicado em 9 de novembro de 2011
Clipe da Música - Programa Xuxa no Mundo da Imaginação - exibido no programa Mundo da Xuxa da Rede Globo Internacional.




sexta-feira, 7 de junho de 2013

ALUÁ - PRIMEIRA BEBIDA REFRIGERANTE BRASILEIRA -CONHECI NO CEARÁ





Conheci Aluá quando morei em Fortaleza. Até então, nunca tinha experimentado, porque em Natal, pelo menos, no meio em que eu vivia, não se tinha hábito de beber aluá. Mas no interior do Ceará, em meados dos anos 60, o Aluá era feito, praticamente em todas as casas, onde haviam festejos juninos. Em toda quadrilha que ia, tinha sempre aluá para ser oferecido às pessoas. E como eu gostava de Aluá principalmente se fosse de abacaxi! Tomei conhecimento depois, que em algumas cidades do interior do Rio Grande do Norte, ainda mantém a tradição de preparar aluá nos festejos natalinos e juninos.





Aluá é uma bebida fermentada, de abacaxi, ou de milho, adoçado com rapadura ou açúcar mascavo. Considerada, por muitos ,como a primeira bebida refrigerante brasileira, o Aluá, tal qual conhecemos hoje, é o resuldado dessa mistura cultural entre o que bebiam os  portugueses colonizadores, os negros escravos e os nossos índios.
O Aluá feito em Portugal era uma bebida adicionada da bagaceira, que é a cachaça feita de uva  e que muita gente conhece como grapa. Quando aqui aportaram, os portugueses conheceram uma bebida parecida feita pelos  índios; essa bebida feita de abacaxi, tinha um teor alcoólico mais baixo, porque os índios usavam o abacaxi fermentado, que gerava uma pequena graduação alcoólica. As "garapas"  negras eram fabricadas da mesma maneira que o aluá, ou seja, pelo mesmo processo de fermentação e misturas. Conta-se que os negros escravos no Nordeste do Brasil fabricavam o aluá sempre que era anunciada uma festa.





Sobre a etmologia da palavra  há variam as opiniões, se vem do africano, do asiático ou do tupi. Uns pesquisadores afirmam que a grafia correta é aloá  que é derivado do vocábulo luá - água , na lingua dos negros aussás, da Costa da Mina. Outros pensam que vem do tupi e seria uma corruptela de aruá, coisa agradável, gostosa, apreciável. O que não resta dúvida  é que os nosos índios, já usavam uma bebida fermentada e espumante, a que dão o nome de aloá. preparada em grandes talhas de barro.



Aluá, Limões Doces e Cana-de-açúcar
J.B. Devbret- 1826 -  Acervo do Museu Castro Maya


O aluá ou aroá  era bebida comum nas classes mais pobres, nas primeiras décadas dos anos de 1800. Era tida como "bebida inocente" - uma infusão de abacaxi ou cereais, com açúcar moreno ou rapadura aos pedacinhos. O de milho era também muito procurado, mas era de arroz o  preferido dos negros.
França Junior, cronista da época, escrevendo em novembro de 1881, dizia: "O pote de aluá saía para o meio da rua, e o povo refrescava-se ao ar livre, a vintém por cachaça". Em 1897,  Eloy de Souza reafirmava: "o aluá é bebida muito comum no Rio de Janeiro de então. Vendiam-no em pequenos potes de barro, muito limpos, à cabeça das negras velhas."
Mas a  popularidade do aluá não se limitou às ruas e festinhas populares. Durante o Primeiro Império brasileiro, ganhou status e virou mania tomar aluá na Corte de D. Pedro I. É ainda França Junior quem afirma:" No primeiro reinado o refresco em voga foi o aluá".  Essa popularidade sucumbiu, já na República Velha, quando começou a surgir ponches e outros gelados mais modernos.



O ALUÁ DO BRASIL COLÔNIA




O milho demorado n'água  depois de três dias dá a esta um sabor acre, de azedume, pela fermentação. Coa-se a água, adicionam-se pedaços de rapadura e, diluída essa tem-se bebida agradável e refrigerante, pelo mesmo processo se prepara o aluá da casca do abacaxi." ( Manuel Querino -costumes Africanos no Brasil).



RECEITA DO TRADICIONAL ALUÁ PARA DIAS DE FESTAS





No Nordeste, o aluá ainda permanece vivo em alguns lugares do sertão, onde é servido durante as novenas e festas da padroeira. No Sudeste, pricipalmente em cidades de Minas Gerais e Rio de Janeiro, ele também sobrevive e é servido nos rituais de fé.Vamos a receita:



INGREDIENTES


  • Dois litros de milho vermelho seco
  • 18 litros de água
  • 5 rapaduras de um 1 kg cada uma
  • Suco de 10 limões, ou o equivalente  em laranjas
  • Uma raiz de gengibre partida e amassada
  • Jarra ou pote de barro já usado que caiba tudo

MODO DE FAZER


Escolha, lave o milho e leve ao sol, para secar. Bote uma caçarola sem gordura ao fogo, coloque o milho e mexa para tostar tudo por igual. Retire do fogo e deixe esfriar. Triture grosseiramente o milho em um pilão. Ponha água no pote  junte o milho já frio e o gengibre. Tampe bem a jarra e deixe em infusão durante uma semana. Todos os dias dê iuma mexida e, logo em seguida, tampe o pote. No dia de servir, raspe ou corte as rapaduras e adoce a bebida. Mexa  bem até dissolver toda  rapadura. Coe, em um coador de pano e depois adicione o suco das frutas. Caso prefira mais doce coloque um pouco mais se açúcar mascavo.



RECEITA DE ALUÁ EM TEMPOS MODERNOS



Em tempos modernos, onde a pressa parece ser a característica principal, convencionou-se que não seriam necessários tantos dias para se fazer uma infusão - dois ou três dias bastariam. O açúcar mascavo substituiu a rapadura, e o tempero do aluá varia de região pra região, ficando a gosto de quem o prepara.

ALUÁ DE ABACAXI


INGREDIENTES


  • Casca se dois abacaxis maduros e bem lavados
  • Dois litros de água filtrada
  • 1 xícara de açúcar mascavo
  • 6 cravos-da-índia
  • 1 colher de chá de gengibre ralado

Ponha as cascas de abacaxi em uma tigela grande  e  acrescente a água. Cubra com um pano limpo e deixe descansar até o dia seguinte. Junte os demais ingredientes e deixe descansar  por mais um dia. Coe e coloque a bebida em uma jarra e deixe na geladeira até o momento de servir.



ALUÁ DE MILHO



INGREDIENTES

  • 1 kg de milho seco
  • 1 kg de açúcar mascavo
  • Cravos-da-índia 
  • Gengibre
  • Erva doce
  • Água

MODO DE FAZER



Torre o milho no forno por uns 20 minutos. Em seguida moa os grãos e despeje-os em um pote de barro. Acrescente a água e o açúcar. Deixe descansar por 24 horas. Depois  desse tempo coloque as especiarias  (cravo - gengibre e erva doce) também moídos e deixe por mais um dia. Se achar  necessário, coe a bebida com um pano e na hora de servir acrescente gelo.


FONTES:

  • Luís da Cãmara Cascudo - História da Alimentação no Brfasil - 4ª EdiçãoEditora Global /São Paulo -2011
  • Luís da Câmara Cascudo - Dicionário do Folclore Brasileiro - -Coleção .Terra. Brasilis - Ediouro  Publicações S.A. - São Paulo 
  • Pesquisas  Google  - Sites:
  1. http://confrariadobaraodegourmandise.blogpot.com.br/2011/06/junho-e-o-alua-coca-o-cola-do-primeiro.html
  2. http://pt.wikibooks.org/wiki/livro_de_receitas/Alu%C3%A1
  3. http://povodoaxe.blogspot.com.br/2009/07/alua.html

FOTOS:

  1. Imagens Google
  2. Edição de Fotos: Site PicMonkey
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...