FOTO DE CAPA

Foto de Capa
Barra de Punaú - por Arilza Soares

papjerimum.blogspot.com.br

SEJA BEM VINDO AO VENTO NORDESTE!

Seguidores

terça-feira, 18 de outubro de 2011

FERIADO DE 03 DE OUTUBRO NO RN - DIA DOS MÁRTIRES DE CUNHAÚ E URUAÇU

                              Pe. André Soveral -Pe. Ambrósio Francisco Ferro
                                           Mateus Moreira (no primeiro plano)


Dia 3 de outubro é feriado no Rio Grande do Norte. O feriado estadual é uma homenagem aos mortos durante dois  massacres, ocorridos em 1645: um na Capela de Nossa Senhora das Candeias, no engenho Cunhaú, no município de Canguaretama, e o outro na Comunidade Uruaçu  em São Gonçalo do Amarante.



                              Pe. André Soveral -Pe. Ambrósio Francisco Ferro
                                                   Mateus Moreira (no alto)


Em maio de 2000, o Papa João Paulo II Beatificou os Mártires de Cunhaú e Uruaçu como exemplos de fé cristã e defensores da igreja Católica. Nesse mesmo ano, o Governo do Estado,em resposta à uma solicitação da Arquidiocese de Natal decretou o feriado de 3 de outubro.
A lei que originou o feriado no Estado é de autoria do deputado José Dias. Aprovada pela Assembléia Legislativa e promulgada pela então governadora Vilma de Faria, foi publicada no Diário Oficial do Estado no dia 7 de dezembro de 2006.


                  Capela de Cunhaú - Santuário dos Mártires em Uruaçu                       
                                  
A Beatificação dos Mártires

Para que o processo de beatificação fosse aprovado, a Congregação para a Causa dos Santos, no Vaticano, exigiu provas que teriam que atender a três requisitos

1.Que as mortes tenham sido de forma violentas
    2.Que os motivos tenham sido de ódio à fé católica
                 3.Que as vítimas tenham aceito livremente o sacrifício                       

Coube ao Monsenhor Francisco de Assis Pereira, postulador da causa da beatificação dos mártires, o desafio de provar que essas circunstâncias fizeram parte do episódio de Cunhaú e Uruaçu.
Monsenhor Assis acompanhou o processo por mais de dez anos, reunindo documentos em pesquisas realizadas em Portugal, Holanda e no Brasil. Deste material resultou o livro Protomátires do Brasil, de sua autoria. As provas reunidas pelo Monsenhor  são explicadas a partir da análise de cada massacre:

1. O Caso do Massacre de Cunhaú


                                                   Padre Andre de Soveral  
            Capela de Nossa Senhora das Candeias (depois da restauração)

"No caso de Cunhaú a violência foi caracterizada pelo fato do grupo de fiéis ter sido chacinado em um recinto fechado, dentro da capela, sem possibilidades de fuga. Além disso, o ataque foi de surpresa e a traição, desfechado de forma repentina por índios selvagens e soldados holandeses armados.
O cenário onde se deu o massacre, o interior da capela, prova o ódio a fé católica. Um a um, portugueses e colonos foram retalhados por espadas afiadas. O Padre André de Soveral, de 73 anos, que celebrava a missa, foi atacado por uma adaga e, depois de morto, feito em pedaços.
Em uma situação de respeito à religião e a fé, a capela de Nossa Senhora das Candeias teria que ter sido considerada um lugar inviolável e sagrado. 
O terceiro elemento que comprova o martírio na capela Nossa Senhora das Candeias é a aceitação voluntária da morte.Os fiéis não reagiram de forma violenta e, mesmo depois, não houve vingança, concordando com o sacrifício da vida". 




                                                        
   2. No Caso do Massacre de Uruaçu                        
                                                    
                                                     

"Em Uruaçu, a morte violenta está explícita no momento em que as pessoas foram atacadas por 200 soldados bem armados. O segundo critério para a declaração do martírio é morrer pela fé. Os historiadores mostram que as vitimas de Uruaçu morreram testemunhando a fé em Deus e na Igreja Católica.E,por morrerem por Deus, eles aceitaram livremente o massacre." 
O massacre é descrito pelos cronistas portugueses com impressionante realismo."Começaram a dar tão desumanos e atrozes tormentos aos homens que já muitos dos que padeciam tomavam por mercê a morte. Mas os holandeses usaram da última crueldade entregando-os aos tapuias e potiguares, que ainda vivos os foram fazendo em pedaços, e nos corpos fizeram anatomias incríveis, arrancando a uns os olhos, tirando a outros as línguas e cortando as partes verendas e metendo-lhas na bocas"( Santiago) O Padre Ambrósio, ainda vivo, foi muito torturado, mas é a descrição da morte de Mateus Moreira o ponto mais expressivo de toda narrativa de Uruaçu e constitui um dos mais belos testemunhos de fé na Eucaristia, confessada na hora do martírio. Os algozes arrancaram-lhe o coração pelas costas e ele morreu exclamando:" Louvado seja o Santíssimo Sacramento"


Padre Ambrósio

Mateus Moreira

                           
                     Santuário dos Mártires em Uruaçu 
                                       


Para o Monsenhor Francisco de Assis "a memória dos servos de Deus sacrificados em Cunhaú e Uruaçu, em 1645, permaneceu na alma viva do povo potiguar, que os venera como autênticos defensores da fé católica."
O processo de beatificação foi concedido pela Santa Sé, e no dia 21 de dezembro de 1998, o Papa João Paulo II assinou o Decreto reconhecendo o martírio de 30 brasileiros, sendo 2 sacerdotes e 28 leigos.
O processo dos mártires encontra-se agora rumo a canonização, que se concretizada,dará ao Brasil seus primeiros Santos Mártires brasileiros.


 Santuário dos Mártires
Bairro de Nazaré - Natal / RN





Nota Final


A decisão do governo estadual em decretar feriado no Rio Grande do Norte por causa da Beatificação dos Mártires, causou polêmica. Os motivos para a beatificação não são consenso entre historiadores. Alguns acham que a igreja se aproveitou do episódio histórico, explorando-o pelo lado místico, como também a fé incomensurável dos fiéis. O Catolicismo teria deixado a questão histórica em segundo plano,modificando-a e construindo uma versão do seu interesse.Outros questionam o massacre, e dizem que existem outras interpretações.Não se questionou, por exemplo, quem seriam as verdadeiras vítimas desse processo: os índios e holandeses não puderam dar seu testemunho, e se sabe que os colonos portugueses também realizavam massacres. Para esse grupo de historiadores, a beatificação atende as conveniências da igreja católica.



Fontes:


Primeiros Mártires. Manso, Bruno Paes- Revista Veja. São Paulo, abril, nº 1576,- dez. 1998.
Mártires  de Cunhaú/Uruaçu agora estão recohecidos por teólogos do Vaticano
 A Verdade . Natal, nº 95-junho de 1998
Beatificação dos mártires em estudo. A Verdade Natal, nº 97- agosto de 1998.


Fotos:
          Imagens Google
              Professora Elizete Arantes-Natal-RN
              Acervo Pessoal de Arilza Pereira





9 comentários:

  1. Essa postagem é dedicada a minha irmã Alzimar e meu Cunhado Carlos.A vocês os meus agradecimentos pela oportunidade que me deram, para conhecer o Santuário de Uruaçu e posteriormente a Igreja dos Mártires em Nazaré.E mais que isso,a vocês toda a minha admiração pelo testemunho de fé que vocês exercitam no dia a dia.Que Deus continue sempre presente na vida dos dois e dessa familia linda que vocês constituiram. Bjos

    ResponderExcluir
  2. ‎Arilza
    Eu li ontem (25/10) e fiquei sem palavras para agradecer. Agradeço, em nome de todos pela dedicatória e estamos a disposição para continuar suas blogagens, ops, postagem.bjos.
    Alzimar Medeiros
    há 3 horas · via facebook

    ResponderExcluir
  3. Arilza,
    na pesquisa pra saber mais sobre as origens do feriado, caí aqui no seu blog. Venho das os parabéns pela riqueza de detalhes e pesquisa do post. Interessantíssimos os documentos citados e mais importante ainda a imparcialidade do texto. Obrigado pela leitura.

    ResponderExcluir
  4. Eu é que agradeço Eduardo, por visitar o Vento Nordeste e usá-lo como fonte de pesquisa.Isso pra mim é muito gratificante. Obrigada também pelos elogios ao texto.Um forte abraço. Arilza Soares/Vento Nordeste

    ResponderExcluir
  5. Tenho visto pessoas divulgarem fotos desses locais na Internet, mas sem dar informações de como chegar e eles. Hoje eu encontrei o Santuário dos Mártires — via Panoramio — na Internet!

    ResponderExcluir
  6. Meu caro Alexandre, antes de mais nada muito obrigada pela visita ao Vento Nordeste.Realmente no Panoramio as informações sobre o acesso ao Santuário está mais completo Não pensei nisso quando postei - falha nossa!
    Você pode conhecer um pouco mais sobre o assunto na postagem anterior que fiz - A sanha holandesa no Rio Grande do Norte - o Massaacre de Uruaçú.
    Um grande abraço- Arilza Soares / vento Nordeste

    ResponderExcluir
  7. Fundamental ter presente o processo de genocidiodeflagrado pela politica colonizadora portuguesa atodos os milhares de indios tapuias que nas Varzeas do piranhas Açu eem todo o Setao de Pernambuco, Paraiba Pernambuco, Riogrande do Norte,Cearános deixaram um dos mais belos legados de resistencia á opressaõ. Milhares e milhares de TAPUIAS foram exterminados . Porque não se fala de tal GENOCIDIO?... nazira vargas

    ResponderExcluir
  8. ARILZA, QUERIDA, FUNDAMENTAL SERÁ CRIAR UM DIA QUE DEIXE VIVA TAMBEM QUE A IDGNAÇAO DO TAPUIAS DO SERTÃO QUE ATACARAM PESSOAS EM URUAÇU E CUNHAU, FOI DE CORRENTE DOA INDIGNAÇÃO INDIGENA PELO GENOCIDIO DE MILHARES DE INDIOS PROVOCADA POR TROPAS COLONIZADORAS QUE QUERIAM DOMINAR OS SERTOES. NORDESTINOS. ESCREVO SOBRE ESTE EXTERMINIO NO LIVRO HISTORIA QUE O POVO CONTAxSOBREVIVENCIA NAZIRA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nazira querida, eu não tenho o seu livro e nunca o li. Precisava ler para aprofundar meus cinhecimentos sobre a questão e postar sobre isso. Tenho muito interesse nesse tema. Concordo com vc essas datas devem ler lembradas e trabalhadas para não serem esquecidas. Bjos.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...