FOTO DE CAPA

Foto de Capa
Barra de Punaú - por Arilza Soares

papjerimum.blogspot.com.br

SEJA BEM VINDO AO VENTO NORDESTE!

Seguidores

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

A ARTE DE BORDAR COM PERFEIÇÃO: OS BORDADOS SERIDOENSES




Sempre que vou a Natal, a primeira coisa que faço é ir a uma loja de artesanato. É quase um ritual, e o Centro de Artesanato da praia dos artistas é um dos meus recantos preferidos, pela proximidade da casa da minha mãe, pela familiaridade com o lugar, pelo visual maravilhoso da orla, e principalmente, pela variedade de peças com bordados de Caicó, que me deixa extasiada! O cuidado, o capricho, a disposição e harmonia das cores faz toda a diferença das bordadeiras seridoenses. Na verdade, os bordados de Caicó não são os únicos, nem originais, mas o o esmero de suas artesãs em trabalhos como "Richelieu" "Matiz" ou "Ponto Cheio" beiram a perfeição!


                                                               
         


ORIGEM E EVOLUÇÃO DO BORDADO

A história do bordado origina-se com o bordado Ponto Cruz, cujos registros históricos remontam na pré-história. No tempo em que os homens moravam em cavernas, o ponto cruz era usado na  costura das vestes, feitas de peles de animais. As agulhas eram feitas de ossos e no lugar das linhas eram usadas  tripas de animais ou fibras vegetais. 
Existem relatos de que o bordado seja  tão antigo quanto a humanidade e de que o bordado com aplicações já era apreciado pelo homem há 30 mil a.C. A base disso seria um fóssil, encontrado na Rússia, que tinha as vestes adornadas com grânulos de marfim.
Como a maioria das outras artes têxteis e dos trabalhos com agulhas, várias técnicas da arte dos bordados surgiram no Oriente Médio. A arte dos bordados manuais com suas variadas técnicas, ainda é bastante utilizada nos dias atuais em todo o mundo.

                                              

                                                

No início do século XX, surgiu o bordado a máquina, feito em máquina de costura doméstica reta a pedal, que ainda é utilizado. Mas, este tipo de bordado requer bastante trabalho por parte do bordador, que tem de movimentar braços e pernas para bordar. Na década de 50 surgiu o bordado em máquina de costura zig-zag industrial, garantindo uma produtividade maior, mas exigindo do bordador mais habilidade e agilidade, pois o movimento do bastidor tem que ser feito de forma manual.
Acompanhando a evolução tecnológica no mundo, na década de 80 surgiram as bordadeiras eletrônicas profissionais e industriais. Acompanhadas de softwares de criação aliaram ao antigo prazer de bordar a facilidade, a praticidade, a produtividade e a elevação da renda. 
                                     
                                                                                          
OS BORDADOS SERIDOENSES




O bordado seridoense teve sua origem baseado no bordado típico da Ilha da Madeira, e sua introdução no Seridó ocorreu do final do século XVIII ao início do século XIX, através das mulheres dos colonizadores portugueses durante a fase de interiorização da província. Esta arte em Portugal foi, por muito tempo, praticada apenas para ornamentar igrejas e vestes eclesiásticas.
As cidades de Caicó e Timbaúba dos Batistas são os locais onde mais se reflete essa tradição.


                                         

Mesmo apresentando características semelhantes ao bordado típico da Ilha da Madeira, em Portugal, as mulheres seridoenses deram características próprias, se utilizando de cores vivas, representando a fauna e a flora locais. O bordado é realizado diretamente sobre o tecido, geralmente utilizando linho, percal ou polialgodão. As técnicas mais utilizadas são o Richelieu, Matiz, ponto Cheio, Turco, Granito, Ponto Reverso, Crivo, Bainha, Ponto Aberto e Pesponto. Em contraste com o bordado do litoral, encontrado na sua maioria totalmente branco, o bordado seridoense apresenta um colorido vibrante formando principalmente flores e arabescos. Originalmente, este artesanato era produzido à mão, apenas com agulha e linha, mas atualmente as bordadeiras já se utilizam de máquinas de costura. São realizadas principalmente sobre caminhos de mesa, panos de bandeja, lençóis de cama, toalhas para lavabo, toalhas de banho, redes, camisetas e blusas de cambraia. Usam-se, também, bordados no enxoval de recém-nascidos se utilizando de linha de seda.


O Bordado Richelieu





Esse tipo de bordado remonta à Idade Média, e atribuí-se ao Cardeal Richelieu, que fazia parte da corte do Rei Luis XIII da França, a origem do nome. Quanto a origem da técnica  se deve muito provavelmente às primeiras investigações no sentido de produzir bordados com linha branca sobre fundos claros e em tecidos leves e transparentes, como tule e musselina. Em seguida,criaram a técnica de cortar certos espaços vazios do tecido entre os motivos bordados vazando-se áreas estratégicas ao redor deste. Os italianos batizaram essa invenção de punto tagliato, os franceses de point coupé, ou seja, ponto cortado. Estava, nesse momento, dado o primeiro passo à criação da renda, e nascia também o que tempos depois ficou conhecido como a técnica para a produção do Richelieu.


                                           
MAIS BORDADOS








Fontes:

  • Jornal Tribuna do Norte - Natal/RN
  • Pesquisas Google:
  • Site de divulgação dos Bordados Seridoenses
  • Wikipédia
Fotos:
  • Imagens Google
  • Site de divulgação dos Bordados Seridoenses
  • Acervo de Thaís Pinto
  • Edição de Fotos: programa Pic-Nic -Yahoo/BR




Essa postagem é para a minha mãe, Dona Angelita, exímia bordadeira, que apesar de não ser seridoense bordava à mão com a mesma perfeição. Como me orgulhava de vestir os vestidos feitos e bordados por ela! Lembro de um vestido vermelho de linho, que ela bordou com o próprio fio do tecido. Era lindo! 
Tenho lembranças da minha mãe bordando à máquina enxovais para noivas, que eram verdadeiras obras se arte. Com ela aprendi a amar e valorizar essa arte. Valeu mãe!






12 comentários:

  1. Muito boa matéria Arilza. Parabéns como sempre. Essas manifestações populares estão se transformando em fonte de renda de uma maneira altamente eficiente para criar uma ponte entre os que estão fora das atividades formais. E estão se transformando em atividades formais por força do "cante a sua aldeia". Estimulante saber tudo isso

    ResponderExcluir
  2. Adorei. Nao vou ao nordeste sem trazer novos bordados para minha casa. Maravilhaaaaa

    ResponderExcluir
  3. Trabalho primoroso essas rendas nordestinas. Fico encantada com a qualidade e beleza dessas produções artesanais, cada uma mais linda que a outra. É difícil até escolher...

    ResponderExcluir
  4. Estou precisando de bordadeiras.Aguardo contato para maiores informações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente não posso te ajudar nessa questão. Moro no Rio de Janeiro e não tenho contatos com as bordadeiras.Um abraço

      Excluir
  5. Olá minha querida, adorei seu blog e ja estou te seguindo! Sou uma apaixonada por bordados! Estou me esforçando para aperfeiçoar minha técnica! Mil beijos e se quiser me fazer uma visitinha: lokaporartesanato.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Olá adorei seus trabalhos estou te seguindo! Amo bordados
    venha me faser uma visita http://bordadosmodernosdasol.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pela sua visita atenção em seguir Vento Nordeste. Pode deixar que vou ver seu blog, pois sou apaixinad por bordados.
      Um grande abraço - Arilza Pereira/Vento Nordeste

      Excluir
  7. Arilza, onde compro estes bordados? nardiemsilva@hotmail.com

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pela qualidade do texto e imagens do seu blog.

    ResponderExcluir
  9. Arilza, boa noite!
    Adorei o post falando sobre bordados, amo bordar e ainda tenho muito que aprender nessa arte.
    Seu blog é muito fofo e já estou seguindo. Quando puder vá no meu espaço também.
    Ótima semana pra você. Sucesso!
    Bjos,
    Lauren
    http://www.aprendendocommamae.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...