FOTO DE CAPA

Foto de Capa
Barra de Punaú - por Arilza Soares

papjerimum.blogspot.com.br

SEJA BEM VINDO AO VENTO NORDESTE!

Seguidores

segunda-feira, 30 de maio de 2011

FEIRA DO ALECRIM

                                                                         

                                                                
          
Voltar a Feira do Alecrim  foi um passeio através do tempo. Mesmo de visual diferente com barracas padronizadas, tive a sensação de que estava  a décadas atrás quando ir a feira com meu pai era era um ritual prazeiroso. Nessa época não existiam os grandes supermercados e ir a feira livre era quase uma obrigação. Eu me encantava com tudo: com os amontoados de frutas colocados na entrada da feira, as vielas repletas de barracas com brinquedos artesanais, as ervas e "garrafadas milagrosas", as  roupas e quinquilharias penduradas, os livrinhos de cordel, que lia escondido do meu pai (ele achava que não era literatura para criança) e principalmente as guloseimas deliciosas vendidas aos gritos pelos pregões dos comerciantes. É nessa gritaria e movimentação que a feira se faz presente juntamente com o canto dos repentistas e o arrastar do vai e vem de pessoas indo e vindo de todos os lugares.
                                                                             

                                                                                    
                                                                     
                                                                             
A feira do Alecrim existe desde 20 de Junho de 1920, quando um grupo de comerciantes liderados pelo paraibano José Francisco dos Santos resolveram fundar a feira. A idéia era que a feira funcionasse no domingo, mas o governo não aceitou e o dia escolhido foi o sábado. Na época os comerciantes não pagavam impostos. Só a partir de 1930 é que a Prefeitura começou as cobranças.
No dia 23 de março de 1957 Câmara Cascudo apresentou José Francisco como o idealizador da feira, mas só no ano seguinte a Câmara Municipal de Natal aprovou a Lei para o funcionamento da feira e uma placa de bronze foi fixada na rua Nove.
Hoje, a tradicional feira do Alecrim possui 515 metros de cobertura (tendas) num total de 1.056 bancas ,banheiros, lixeiras e placas de identificação de produtos que estão separados por tipos de produtos. 


      Organização da feira e seus  setores                   
  
1. CARNES  DE  BOI-CARNEIRO-BODE 

PORCO-VÍSCERAS...


                      1. Bucho                   2.Sangue talhado          3.  Mocotó
                      1. Miolo                    2. Testículo                    4. Fígado      
                1.Buchada de .Bode     2.Sarapatel de.Porco         3. fato                                            
                                

Carneiro e porco


2-PEIXES-CAMARÕES-CARANGUEJOS

  1.Atum   2. Tainha    3.Ciobas e Arabaianas 
                                 Camarões                                                                                  
                                                                    Caranguejo Uça    
                                                                                                                   
3.FRUTAS-LEGUMES-VERDURAS


                     1. Melancias            2. Maracujas      3.Laranjas e Abacaxis    
                                                                       Feijão verde 
                                                         Milho verde e cocos
                       1. Graviolas                2. Acerolas                3. Bananas      
                            1 e 2. Cajás                                 3.Goiabas 
                      1.Laranjas -Capim santo   2. Cajás                2. Jenipapos                                            
                       1. Pimentões                 2. Pimentas                   3. Quiabos
                        1.Manga Rosa              2.Laranjas                  3.Mamão
                                                                               
4. TEMPEROS E ERVAS


                     1. Pimenta do reino      2.Colorau                  3.Alho
                     1.Noni                        2.Ervas secas             3.Ervas verdes
                     1Corama                  2.Garrafadas     3.Ervas Desidratadas.                                              

5.GULOSEIMAS


               1. Rapaduras                 2. Sequilhos        Docinhos de caju-
               1. Sequilhos     2. Bolos: da moça-- de batata 3. Queijos

6.AVES E OUTROS ANIMAIS VIVOS


                       1. Guinés                           2. Galos                       3. Perus
                        1. Pavãos                         2. Cabras e Bodes        3. Patos


6. FARINHAS -GOMAS E CEREAIS


                                                              Gomas e Tapiocas
                                                   Feijões e farinhas de Mandioca

7.QUINQUILHARIAS
  E UTENSÍLIOS DOMÉSTICOS


                1. Colheres de pau         2.Raspador de coco        3. Urupemas
.
                              Cachimbos  e Fumo de rolo
                    1. Piões                2. Cordel                 3.Baladeiras                                              
                     1. Panelas                   2. Churrasqueiras       3.Lamparinas
                                                                         Utensílios de barro
                                                                                   

Problemas existentes nesse grande caldeirão cultural  

Infelizmente nem tudo tudo é mararavilhoso na feira do Alecrim. Os comerciantes reclamam do baixo faturamento e alguns mais pessimistas visualizam o fim das feiras livres, problemas originados pela presença hoje, dos grandes supermercados da cidade. Os moradores próximos da feira reclamam do barulho e da grande movimentação nos finais de semana, e alguns clientes falam da falta de higiene e da sujeira da feira. Mas, independente dos problemas que lhe afeta, a feira do Alecrim sobrevive à quase um século e é um lugar que merece ser prestigiado. Mais que um lugar de compra e venda de mercadorias baratas e quase sempre "fresquinhas" uma feira reflete a cultura do seu povo, evidenciada nos tipos de produtos vendidos, no seu manuseio,na linguagem, nos gestos, nas condições de trabalho e no comportamento geral das pessoas que fazem a feira. Assim um olhar mais atento aos diferentes setores da feira do Alecrim nos possibilita conhecer grande parte da riqueza gastronômica e cultural do povo dessa cidade.





Já que estamos falando de feira não podemos deixar de citar e de prestar a nossa homenagem a mais famosa feira nordestina, cantada e imortalizada pelo nosso Rei do baião,  Luiz Gonzaga - A Feira de Caruaru em Pernambuco.





FONTE:
                                            Jornal Tribuna do Norte - Natal RN
                                            Jornal Diário de Natal - Natal/RN
FOTOS
Acervo pessoal de Arilza Soares
Imagens Google
Edição de Fotos: Programa Pic-Niv- Yahoo/BR


                                                                  VÍDEO:

                          O vídeo foi enviado ao You Tube por 1414Beto em 02/08/2010






8 comentários:

  1. Edi Germano essa feira é tudo de bom!
    há 55 minutos via facebook

    ResponderExcluir
  2. Aldenize Reis Eu só amo a Feira do Alecrim!
    há ± 1 hora · VIA FACEBOOK

    ResponderExcluir
  3. Aqui em casa acordar bem cedo aos sábados para ir a feira do Alecrim é uma rotina do meu marido há anos.È o nosso grande centro de abastecimento para comprar os produtos regionais mais baratos.

    ResponderExcluir
  4. Feira do Alecrim, essa tem sabor especial, eu gostava demais de ir lá. Teve uma época, final dos anos 60, quando morei a menos de 50 metros da feira, morava na Cel Estevão, entre a rua da feira e a rua Alexandrino de Alencar. Comi muito grude, tapioca e aqueles doces de caju e goiaba vendidos na feira, eram meus lugares prediletos, no campo, que para mim na época, era diversão, eu gostava demais de ver os vendedores “picaretas” vendendo remédios milagrosos, utensílios de duvidosa utilidade, a conversa, as historias que eles contavam na roda de gente que os cercavam, eram divertidas hilárias, eu ficava fascinado com aquilo, lembro de uns que tinham mastro com um garrafão de água transparente no topo do mastro que eles seguravam com a mão, dentro do garrafão, dois bonecos, de cores diferentes, que subiam e desciam dentro do garrafão, segundo “suas ordens”, eu ficava intrigadíssimo como os bonecos “obedeciam” ao vendedor “milagroso”, somente depois de muitos anos, descobri o “milagre”, pura física, os bonecos tinham pesos diferentes e flutuavam segundo a inclinação que eles davam no mastro, é mole?

    Comentário de Eduardo Souza -Rio Branco-Acre

    ResponderExcluir
  5. fiquei muito alegre por ter achado site com as especialidade do meu rio grande do norte,estive ai em novembro de 2010 e tive o prazer de ir ate esta feira,fiquei impressionado de ver as variedades que por la tinha,matei minha saudade e minha vontade,2012 vem ai e jà estou planejando ir ate ai de novo se Deus assim permitir,enquanto isto vou me deliciando neste site.

    ResponderExcluir
  6. gente eu morei nesta cidade por quase dois anos hoje estou em São Paulo mais a lembrança de natal eu faço questão de guardar.

    ResponderExcluir
  7. Gostei dessa feira. No junho, sim Deus quiser, vou estar lá

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...